AeroClippi?ng, terça-feir?a, 22/07/14 - ano XII - nº 216

Fonte
  • Menor Pequena Medium Grande Maior
  • Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

O Estado de S.Paulo

Viagens aéreas têm alta de 0,4% em junho

Anac pede informações ao governo de MG e prefeitura sobre aeroporto

Folha de São Paulo

Caixas-pretas do voo são entregues pelos rebeldes

Editorial: Aviões não regulados

ZERO HORA

Confira as empresas aéreas eleitas as melhores do mundo em 2014

O Dia - PI

Demanda por voos domésticos fica estável em junho

Folha de Pernambuco

TAP terá que indenizar família em R$ 96 mil por extravio de bagagem

Estado de Minas

Azul terá novo voo direto entre Campinas e Patos de Minas

A Crítica de Campo Grande - MS

Em dia de sol, Aeroporto de Campo Grande opera sem restrições

Gazeta Digital - MT

Anac suspende parte dos voos no Aeroporto de Alta Floresta

Diário de Cuiabá

Azul anuncia ampliação da malha com 2 voos noturnos

Mercado&Eventos

Aeroporto de Campo Grande recebe obras de revitalização na pista

Portal UOL

Passagem de avião fica 26,7% mais barata, diz IBGE; hotéis sobem 28%


O Estado de S.Paulo

TERÇA-FEIRA, 22 DE JULHO DE 2014

Viagens aéreas têm alta de 0,4% em junho

Resultado surpreendeu o setor, que esperava retração; no primeiro semestre, setor avançou 6,6%, segundo a Abear

daniel teixeira/estadão

Visitas. País recebeu 1milhão de turistas durante o Mundial

A demanda por voos domésticos das quatro maiores empresas aéreas do Brasil ficou praticamente estável em junho, quando foi realizada a Copa do Mundo no País, com variação positiva de 0,4% sobre junho do ano passado, informou ontem a associação que representa o setor, Abear.

Já no primeiro semestre, a demanda avançou 6,6% em relação ao mesmo período de 2013, enquanto a oferta ficou estável.

A substituição do fluxo normal de passageiros, constituído em grande parte por viagens de negócios, por turistas durante o Mundial no Brasil ocorreu em volume superior às expectativas – antes do evento, porta-vozes da associação chegaram a prever queda da demanda durante o Mundial.

A entidade ressaltou, contudo, que os dados não captam toda a duração do evento, que começou no dia 12 de junho e se estendeu até 13 de julho.

Segundo dados do Ministério do Turismo, o País recebeu 1 milhão de turistas durante a Copa, acima da previsão inicial, que era de 800 mil.

Em junho, a oferta das quatro maiores companhias aéreas recuou 1,5% sobre junho de 2013. Com o ligeiro avanço da demanda e recuo da oferta, a taxa de ocupação subiu 1,5 ponto porcentual para 78,4% no mês. No acumulado do semestre, a taxa de ocupação ficou em 79,25%.

Em junho, a posição de mercado das quatro principais companhias aéreas do Brasil se manteve inalterada. A TAM manteve- se na liderança do setor, com participação de 37,8%, seguida por Gol (35,4%), Azul (17,7%) e Avianca (9,1%).

Viagens internacionais. A Abear disse ainda que a realização Copa ajudou a impulsionar a demanda por viagens internacionais, em junho, em 7,5%. No período, a taxa de ocupação ficou em 81,5%, uma alta de 5,6 pontos porcentuais sobre o resultado de junho de 2013.

Entre as companhias nacionais, apenas TAM e Gol operam voos internacionais. As duas empresas transportaram 383 mil passageiros em junho, alta de 7% sobre 2013.

REUTERS e AGÊNCIA ESTADO

 


O Estado de S.Paulo

21 Julho 2014 | 19h 30

Anac pede informações ao governo de MG e prefeitura sobre aeroporto

Agência Nacional de Aviação Civil informou que pilotos que tenham feito operações na região poderão ser multados em até R$ 10 mil

RICARDO CHAPOLA, EDUARDO RODRIGUES E MARCELO PORTELA

O ESTADO DE S. PAULO

Atualizado às 22h19 - A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou nesta segunda-feira, 21, que vai notificar o governo de Minas e a prefeitura de Cláudio, no interior do Estado, para que expliquem o uso de um aeroporto construído com dinheiro público em um terreno que já pertenceu a um tio-avô do candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves. A agência deu prazo de dez dias para que os dados sejam enviados.

Minas gastou cerca de R$ 14 milhões na construção do aeroporto, que ficou pronto em 2010, último ano da gestão de Aécio como governador do Estado. O terreno que pertencia a um tio-avô do tucano foi desapropriado, mas o caso está em litígio – os antigos proprietários contestam o valor da indenização.

Oficialmente, o aeroporto não pode funcionar, pois não está homologado pela Anac, diz nota divulgada pela agência federal que regula o setor aéreo.

Reportagem publicada pelo jornal Folha de S. Paulo no domingo, porém, traz relato de um dos filhos do tio-avô de Aécio segundo o qual a pista recebe pelo menos um voo por semana. Fernando Tolentino, filho de Múcio Guimarães Tolentino, tio-avô do candidato tucano ao Planalto, afirmou ainda, segundo o jornal, que o próprio Aécio, seu primo, usa o aeroporto sempre que visita a cidade. O tucano, junto com as irmãs e a mãe, é dono de uma fazenda que fica a 6 quilômetros da pista. O acesso ao aeroporto é controlado pelos parentes do candidato.

A Anac afirma na nota que o governo de Minas precisa providenciar um parecer da Aeronáutica. A agência também diz que precisa inspecionar o empreendimento. “Se comprovadas as irregularidades, a Anac adotará as medidas cabíveis. Pilotos e operadores de aeronaves que porventura tenham realizado operações aéreas irregulares poderão ser multados em até R$ 10 mil por operação.”

O governo mineiro informou apenas que “o controle de voos é realizado pelo Estado nos aeroportos regionais que possuem aviação comercial regular”. A prefeitura de Cláudio disse que tem convênio com o Estado para explorar o aeroporto, mas não deu informações sobre os voos operados no local.

Já o PSDB divulgou nota acusando o governo Dilma Rousseff de utilizar a Anac para “perseguir adversários políticos”. A campanha tucana promete representar no TSE contra a agência e a presidente.


Folha de São Paulo

TERÇA-FEIRA, 22 DE JULHO DE 2014

Caixas-pretas do voo são entregues pelos rebeldes

LEANDRO COLON

DO ENVIADO A TOREZ (UCRÂNIA)

Os rebeldes separatistas da Ucrânia entregaram nesta segunda-feira (21) a autoridades da Malásia as caixas-pretas do voo MH17, quatro dias após a queda do avião no leste do país, que matou 298 pessoas.

Também nesta segunda, o trem que armazenava a maioria dos corpos das vítimas deixou a estação da cidade de Torez, controlada pelos separatistas.

O destino dos vagões foi Kharkov, a maior cidade do leste em poder do governo da Ucrânia, que agora terá a ajuda de especialistas internacionais na identificação dos corpos.

Enquanto se definia o destino dos corpos, a cidade de Donetsk, sob domínio dos insurgentes, viveu um dia de tensão, com confrontos na área da estação de trem. Pelo menos três pessoas teriam morrido.

O presidente da Ucrânia anunciou trégua num raio de 40 km da área da queda do avião, mas a medida não atingia Donetsk.

Ao todo, 282 dos 298 mortos foram localizados, além de fragmentos de 16 deles. Não há informação precisa sobre quantos foram transportados nos vagões, mas a estimativa é que teria sido praticamente a totalidade.

O transporte dos corpos envolveu longa negociação entre observadores da OSCE (Organização para a Segurança e Cooperação na Europa) e os separatistas.

Os rebeldes, que controlam a região, são acusados pelo governo da Ucrânia de ter derrubado o avião da Malaysia Airlines, que ia de Amsterdã (Holanda) a Kuala Lumpur (Malásia).

Nesta segunda-feira, a Folha acompanhou a visita dos observadores, que contou com a presença de especialistas holandeses.

Cercados por rebeldes, eles tiveram acesso rápido aos vagões, apenas como forma de monitoramento.

O cheiro dos cadáveres, que ficaram dois dias a céu aberto na área onde o avião caiu, era perceptível do lado de fora da estação.

Os rebeldes, todos armados, se irritaram com a presença da imprensa, tentando impedir o acesso à área.

Os corpos foram levados para os vagões no fim de semana, sem nenhuma espécie de fiscalização.


Folha de São Paulo

22/07/2014 02h00

Editorial: Aviões não regulados

Opinião

Foram as finalidades militares –e seu intenso emprego pelos EUA– as responsáveis pela popularização dos drones (aviões não tripulados). No mandato presidencial de Barack Obama, tornaram-se rotineiras as operações com tais aeronaves, sobretudo no Paquistão, no Afeganistão e no Iêmen.

Próprias para ataques cirúrgicos, muitas vezes serviram para executar indivíduos acusados de terrorismo. Mas não só; segundo organizações internacionais, das mais de 2.400 vítimas, ao menos 400 não tinham relação com a prática ou o planejamento de crimes.

Esse expressivo rol de assassinatos certamente colaborou para que Obama prometesse maior rigor e controle em seu programa de aviões não tripulados.

Mas drones, felizmente, não são sinônimo de morte à distância, como mostrou reportagem publicada na semana passada no suplemento "The New York Times" desta Folha. O exemplo foi a missão de paz da ONU na República Democrática do Congo.

Ali, as naves se destinam a fins pacíficos: vigilância, identificação de áreas sob controle de guerrilheiros e proteção da população civil e das tropas da ONU. Os aviões não tripulados voam mais baixo, com menor barulho e maior discrição que helicópteros, o que torna suas missões mais seguras e eficientes.

Na esfera civil, a Amazon, empresa americana de comércio eletrônico, anunciou que busca a permissão de agências reguladoras para testar a entrega de encomendas por meio dessas aeronaves.

Existe ainda o uso dos drones em coberturas jornalísticas. Esta Folha, de forma pioneira, valeu-se deles para captar imagens durante os protestos de junho de 2013.

No Brasil, contudo, a completa ausência de regulamentação impede o pleno desenvolvimento da indústria de aviões não tripulados.

A Agência Nacional de Aviação Civil e a Agência Nacional de Telecomunicações ainda não têm normas que disciplinem o uso comercial desses veículos e definam em que radiofrequência funcionarão –o que se faz necessário por serem dirigidos por controle remoto.

Impede-se, assim, que um promissor setor de tecnologia levante voo no país. É preciso agilizar o processo de criação dessas regras básicas para os drones nacionais; caso contrário, diversos fabricantes que manifestaram interesse nessa indústria se verão prejudicados pelos ventos internacionais, mais favoráveis ao empreendedorismo.


ZERO HORA

22/07/2014 | 08h02

Confira as empresas aéreas eleitas as melhores do mundo em 2014

Pesquisa anual é realizada pela consultoria Skytrax com base em uma pesquisa com viajantes de 160 países

World Airline Awards

Escolhida a melhor do ano, Cathay Pacific Airways, de Hong Kong, viaja para 189 destinos

Foto: Erik Hildebrandt / MachPOD

Das 10 melhores empresas aéreas do mundo, sete são da Ásia. É o que mostram os resultados do prêmio World Airline Awards 2014, realizado pela consultoria Skytrax com base em uma pesquisa com viajantes de 160 nacionalidades.

Neste ano, o título de melhor companhia foi conquistado pela Cathay Pacific Airways, de Hong Kong, que viaja a 189 destinos em 47 países ou territórios — incluindo São Paulo e Rio de Janeiro. No ano passado, o primeiro lugar havia ficado com a Emirates, dos Emirados Árabes.

Entre as cem melhores, aparecem duas brasileiras — a Tam, que caiu da 39ª colocação para a 42ª em relação ao ano passado, e a Azul, que subiu do 67º para o 63º lugar. Confira, a seguir, o ranking de algumas categorias. A lista completa pode ser encontrada no site www.worldairlineawards.com  (em inglês).

Empresa aérea do ano

1. Cathay Pacific Airways

2. Qatar Airways

3. Singapore Airlines

4. Emirates

5. Turkish Airlines

6. ANA All Nippon Airways

7. Garuda Indonesia

8. Asiana Airlines

9. Etihad Airways

10. Lufthansa

42. Tam Airlines

63. Azul Linhas Aéreas Brasileiras

América do Sul

1. LAN Airlines

2. Tam Airlines

3. Avianca

4. Azul Linhas Aéreas Brasileiras

5. Gol

6. Aerolineas Argentinas

7. Easyfly

8. Sky Airline

9. Austral Líneas Aéreas

10. VivaColombia

América do Norte

1. Air Canada

2. WestJet

3. Virgin America

4. Delta Air Lines

5. United Airlines

6. Porter Airlines

7. jetBlue Airways

8. Alaska Airlines

9. Southwest Airlines

10. American Eagle Airlines

Europa

1. Turkish Airlines

2. Lufthansa

3. Swiss

4. British Airways

5. Austrian

6. Air France

7. Aegean Airlines

8. KLM

9. Virgin Atlantic

10. Finnair

Empresas transatlânticas

1. Lufthansa

2. British Airways

3. Swiss

4. KLM

5. Air France

6. Virgin Atlantic

7. Iberia

8. Delta Air Lines

9. Alitalia

10. United Airlines

Companhias de baixo custo

1. AirAsia

2. AirAsia X

3. Norwegian

4. Jetstar Airways

5. IndiGo

6. easyJet

7. WestJet

8. Virgin America

9. Jetstar Asia

10. Scoot

Empresas que mais melhoraram

1. Hong Kong Airlines

2. Saudi Arabian Airlines

3. Royal Air Maroc

4. TAAG Angola Airlines

5. Iberia

6. Sky Airline

7. Air France

8. Aeroflot Russian Airlines

9. Air Mauritius

10. Kenya Airways

Melhor primeira classe

1. Singapore Airlines

2. ANA All Nippon Airways

3. Etihad Airways

4. Cathay Pacific Airways

5. Emirates

Melhor classe executiva

1. Qatar Airways

2. Cathay Pacific Airways

3. Singapore Airlines

4. Oman Air

5. Turkish Airlines

Melhor classe econômica

1. Asiana Airlines

2. Garuda Indonesia

3. Turkish Airlines

4. Qatar Airways

5. Cathay Pacific Airways

Melhor equipe de bordo

1. Garuda Indonesia

2. Cathay Pacific

3. Singapore Airlines

4. Asiana Airlines

5. Malaysia Airlines

Melhor entretenimento de bordo

1. Emirates

2. Singapore Airlines

3. Turkish Airlines

4. Qantas

5. Cathay Pacific Airways


O Dia - PI

Teresina, Terça, 22 de julho de 2014

Demanda por voos domésticos fica estável em junho

A demanda por voos domésticos das quatro maiores empresas aéreas do Brasil ficou praticamente estável em junho, quando foi realizada a Copa do Mundo no país, com variação positiva de 0,4% ante o junho do ano passado, informou ontem (21) a associação que representa o setor, Abear.

Já no primeiro semestre, a demanda avançou 6,6% ante o mesmo período de 2013, enquanto a oferta ficou estável.

A substituição do fluxo normal de passageiros, constituído em grande parte por viagens de negócios, por turistas durante o Mundial no Brasil ocorreu em volume “um pouco maior do que as expectativas preliminares do setor”, o que permitiu o ligeiro avanço na demanda, disse a Abear. A entidade ressaltou, contudo, que os dados não captam todo a duração do evento esportivo, que começou no dia 12 de junho e se estendeu até 13 de julho.

Em junho, a oferta das quatro maiores companhias aéreas recuou 1,5% sobre junho de 2013. Com o ligeiro avanço da demanda e recuo da oferta, a taxa de ocupação subiu 1 ponto percentual para 78,4% no mês.

No semestre, a taxa de ocupação ficou em 79,25%.

Em junho, a TAM manteve a liderança do mercado, com fatia de 37,8%, seguida pela Gol, com 35,4%, pela Azul, com 17,7%, e pela Avianca, com 9,1%.

As associadas Abear embarcaram 6,2 milhões de passageiros ao longo dos 30 dias de operações de junho, queda de 0,7% em relação ao ano anterior (quando havia sido registrado um total também próximo de 6,2 milhões de pessoas).

No semestre, o total de passageiros embarcados se expandiu 4,2% para 38,6 milhões de consumidores.

Voos internacionais A Abear disse que a Copa do Mundo ajudou a impulsionar a demanda por viagens internacionais em junho, que subiu 7,5%, enquanto a taxa de ocupação icou em 81,5%, alta de 5,6 pontos percentuais.

Entre as companhias nacionais, apenas TAM e Gol operam voos internacionais no momento. No total, 383 mil passageiros embarcaram para o exterior pelas duas companhias em junho, alta de 7%.

Cenário

No último mês, a Copa do Mundo impulsionou as viagens internacionais, que subiram subiu 7,5%

(G1)

 


Folha de Pernambuco

21/07/2014 19:19

TAP terá que indenizar família em R$ 96 mil por extravio de bagagem

Decisão foi tomada pelo juiz Cláudio Malta de Sá Barreto. Caso ocorreu em 2008

Do FolhaPE, com informações da assessoria

A companhia aérea TAP foi condenada a pagar indenização por danos morais e materiais para cinco pessoas que tiveram as bagagens extraviadas quando viajavam juntas para a Europa, em janeiro de 2008. Na sentença, publicada no Diário de Justiça da última terça-feira (15), o juiz Cláudio Malta de Sá Barreto, da 28ª Vara Cível da Capital, levou em conta o fato de que duas das pessoas afetadas faziam uso diário de medicação controlada no período da viagem.

A decisão contempla um casal, que receberá R$ 40 mil; seus dois filhos, que serão indenizados em R$ 10 mil, cada um; e a noiva, na época, de um dos passageiros, que também receberá R$ 10 mil. Esses valores correspondem à multa por danos morais. A companhia aérea também foi condenada a pagar R$ 26.094,04 por danos materiais, totalizando R$ 96.094,04.

O caso aconteceu no dia 10 de janeiro daquele ano, quando a família embarcou no Recife com destino a Londres. Segundo os autos, das quatro bagagens despachadas, apenas uma foi entregue de volta no momento do desembarque. Após entrarem em contato com a empresa e não serem atendidos no que se refere à promessa de que receberiam as outras malas até o dia seguinte, os clientes tiveram que arcar com os custos de roupas, objetos e remédios durante os dias fora do Brasil.

Ainda conforme informações do processo, nenhum auxílio dos funcionários da TAP foi prestado à família durante a estadia na Europa. Somente na volta à capital pernambucana, os passageiros tomaram conhecimento de que uma mala ainda estava intacta e de que a outra tinha sido devolvida totalmente avariada. A terceira nunca foi encontrada.

Além dos valores estipulados para a ação, a TAP também foi condenada a pagar juros moratórios legais de 1% a partir da data da citação, bem como o pagamento dos custos do processo e dos honorários dos advogados.


Estado de Minas

21/07/2014 16:01

Azul terá novo voo direto entre Campinas e Patos de Minas

A companhia deixa de operar o trecho entre Patos de Minas e Belo Horizonte-Pampulha

Estado de Minas

A Azul Linhas Aéreas começa no dia 8 de agosto os voos diretos entre Campinas e Patos de Minas, Região do Alto Paranaíba, às segundas, quartas e sextas-feiras. Com a autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a companhia deixa de operar o trecho entre Patos de Minas e Belo Horizonte-Pampulha. Além disso, a companhia espera iniciar ainda em 8 de setembro, o oitavo voo entre a cidade paulista e Brasília.

No principal hub da companhia, os passageiros de Patos de Minas e Brasília encontram ligações para dezenas de destinos em todo o Brasil, como Araçatuba, Brasília, Cascavel, Criciúma, Dourados, Florianópolis, Fortaleza, Rio de Janeiro (Galeão e Santos Dumont), Goiânia, Foz do Iguaçu, Joinville, Bauru, Londrina, Maringá, Marília, Navegantes, Passo Fundo, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Recife, São José do Rio Preto, Salvador, Teresina, Uberaba, Uberlândia, Chapecó, Cuiabá, Belo Horizonte (Confins e Pampulha) e Porto Alegre.

A companhia iniciou as atividades em Patos de Minas no dia 1º de janeiro de 2008.


A Crítica de Campo Grande - MS

Terça, 22 de Julho de 2014 - 08:17

Em dia de sol, Aeroporto de Campo Grande opera sem restrições

Aeroporto de Campo Grande opera hoje sem restrições

O Aeroporto Internacional de Campo Grande opera normalmente na manhã de hoje (22), sem restrições para pousos e decolagens.

A Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária) informou que há registros de 14 voos domésticos que devem operar sem atrasos e sem cancelamentos.


Gazeta Digital - MT

Segunda, 21 de julho de 2014, 18h41

IRREGULARIDADES

Anac suspende parte dos voos no Aeroporto de Alta Floresta

Welington Sabino, repórter do GD

Parte dos voos de grande porte está suspensa no Aeroporto Piloto Osvaldo Marques Dias, em Alta Floresta (803 Km ao norte de Cuiabá) em virtude de irregularidades detectadas em 3 planos essenciais para permitir as decolagens e pousos. A medida foi determinada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) após identificar que estão desatualizados: o Plano de Emergência em Aeródromo, o Plano de Remoção de Aeronaves Inoperantes e Desinterdição de Pista e o Plano Contra incêndio em Aeródromo.

Contudo, a Anac afirma que as operações do aeroporto não foram totalmente suspensas. Justifica que apenas promoveu uma adequação no número de movimentos do aeroporto, tendo em vista a indisponibilidade do Serviço de Prevenção, Salvamento e Combate a Incêndio. Ou seja, reduziu a quantidade de voos que o aeroporto recebia, mas não detalhou quantos voos o aeroporto realizava e quantos poderá continuar operando até sanar as irregularidades.

Em nota, a Anac informou ao Gazeta Digital que as primeiras restrições foram aplicadas no dia 27 de maio deste ano depois que os prazos concedidos para regularização dos planos se encerraram e as irregularidades não foram sanadas. Um novo prazo foi estipulado pela Agência e o município entregou a documentação na última quinta-feira (17) que agora estão sob análise da Anac. “Identificamos ainda que até a presente dada, não foi elaborado e implementado pelo Operador do Aeroporto o Programa de Treinamento Recorrente para Bombeiro de Aeródromo (PTR-BA)”, diz o comunicado.

Conforme Resolução Anac número 234, de 2012, o Plano de Emergência em Aeródromo é o documento que estabelece as responsabilidades dos órgãos, entidades ou profissionais que possam ser acionados para o atendimento às emergências ocorridas no aeródromo ou em seu entorno, devendo conter os procedimentos de coordenação das ações para atendimento às diversas emergências aeroportuárias.

O Plano de Remoção de Aeronaves Inoperantes, organizado como um anexo do primeiro, é um documento que tem como objetivo estabelecer procedimentos para o retorno às operações na área do aeroporto onde ocorreu a suposta emergência.

Por sua vez, o Plano Contra Incêndio em Aeródromo contém os procedimentos operacionais relacionados ao Serviço de Prevenção, Salvamento e Combate a Incêndio em Aeródromo Civil, com vistas a facilitar a rapidez das ações, otimizar a aplicação dos recursos disponíveis e resguardar os componentes quando da adoção destes procedimentos.

A Anac informou que no dia 17 de julho deste ano a administração ao aeroporto solicitou a prorrogação dos prazos de adequação solicitados pela Agência. Explica que os prazos para o atendimento das irregularidades e demais solicitações apresentadas ao operador do aeroporto iniciaram-se em 29 de novembro de 2013, porém, como não houve o atendimento completo, os prazos foram postergados que no dia 27 de maio deste ano foram aplicadas as primeiras restrições.

De acordo com a prefeitura de Alta Floresta, o aeroporto da cidade, atualmente, possui a segunda maior pista da região Centro Oeste, com 2.5 mil metros de comprimento. Em março deste ano, o município informou que a empresa ATP Engenharia estava realizando levantamento detalhado para a reforma e ampliação do aeroporto. A meta era de acordo com o prefeito, Asiel Bezerra, ampliar o aeroporto tornando-o apto a receber grandes aeronaves como o Air Bus da TAM. O aeroporto de Alta Floresta tinha condições asseguradas para receber aviões de até 110 passageiros.


Diário de Cuiabá

Terça feira, 22 de julho de 2014

CUIABÁ-GUARULHOS

Azul anuncia ampliação da malha com 2 voos noturnos

Da Redação

Os clientes de Cuiabá e de São Paulo (Guarulhos) terão a terceira opção de voo diário e direto entre as duas cidades com a Azul Linhas Aéreas Brasileiras. Recentemente, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autorizou a nova operação entre os destinos, que será noturna, pois dois voos diurnos já ligam as capitais. As tarifas podem ser encontradas a partir de R$ 169,90 ou 6.000 pontos do TudoAzul.

“A oferta deste novo voo é fruto da alta demanda dos clientes que precisam viajar entre estas duas importantes capitais. Além disso, o fato de ser um voo noturno é estratégico por trazer facilidade e comodidade a quem faz esta ponte principalmente para negócios e não podem perder tempo”, afirma Marcelo Bento, diretor de Planejamento e Alianças da Azul.

Em São Paulo (Guarulhos), os clientes de Cuiabá encontram conexões para Belo Horizonte (Confins), Curitiba, Navegantes, Belo Horizonte (Pampulha), Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro (Santos Dumont) e Vitória, além de outros destinos possíveis a partir dos principais malhas da companhia. Já na capital de Mato Grosso, os clientes que partem de São Paulo (Guarulhos) encontram conexões para Sinop.

AZUL EM CUIABÁ - A companhia iniciou as operações na capital mato-grossense em 25 de fevereiro de 2000. Atualmente, cerca de 25 voos partem diariamente para vários destinos no interior e para outros estados.


Mercado&Eventos

21/07 - 10:01

Aeroporto de Campo Grande recebe obras de revitalização na pista

Por: Da Redação

A pista do Aeroporto Internacional de Campo Grande irá passar por obras de recapeamento e execução de grooving a partir do dia 04/08. Os trabalhos serão executados das 21h às 7h (horário local), de domingo a sábado. Nessa faixa de horário, pousos e decolagens estarão suspensos. A Infraero orienta os passageiros que tenham voo marcado a partir de 04/08 que entrem em contato com as empresas para confirmar a programação de sua viagem.

O planejamento foi definido pela Infraero em conjunto com os representantes das empresas aéreas, Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea). A estimativa é que a pista seja completamente liberada em outubro. Ao todo, R$ 13,1 milhões serão investidos na obra.

Infraero

 


Portal UOL

22/07/201409h46

Passagem de avião fica 26,7% mais barata, diz IBGE; hotéis sobem 28%

Do UOL, em São Paulo

O preço das passagens aéreas foi um dos principais motivos que levaram a prévia da inflação de julho a desacelerar, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgados nesta terça-feira (22). Com o efeito contrário, o preço dos hotéis subiu 28% no período.

Os bilhetes de avião ficaram 26,77% mais baratos em julho, a maior queda individual de preços entre os itens registrados pelo IBGE para o IPCA-15 (Índice de Preços ao Consumidor Amplo - 15), considerado uma prévia da inflação oficial.

Além dos transportes (que, num geral, apresentaram queda de 0,85% no mês), os preços de produtos alimentícios também desaceleraram entre a segunda quinzena de junho e a primeira de julho, acumulando queda de 0,03%.

O morango foi um dos que mais caiu: 19%; seguido pela laranja-baia, que ficou 14,65% mais barata; e pelo peixe dourada, cujo preço caiu 13,56%.

A batata inglesa e o tomate, dois dos grandes vilões da inflação nos primeiros meses do ano, tiveram queda nos preços: de 13,23% e 11,63%, respectivamente.

A tangerina ficou 10,65% mais barata; a manga, 10,41%; a couve-flor, 10,36%. Enquanto o feijão carioca (-7,44%) e o feijão preto (-5,32%) tiveram baixa, o preço do arroz subiu 1,02%.

Efeito Copa: diárias de hotéis aumentam 28,63%

Uma alta de 28,63% nos preços dos serviços de hotéis fizeram com que a categoria de "despesas pessoais" tivesse alta no IPCA-15 de julho. No todo, o grupo apresentou alta de 1,76%.

A região metropolitana de Fortaleza se destacou pelo aumento de 57,95% nos valores das diárias, seguida de Brasília, onde os preços subiram 45,74%. No Rio de Janeiro, as diárias subiram, em média 35%.

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS