AeroClippi?ng, sexta-feir?a, 08/08/14 - ano XII - nº 230

Fonte
  • Menor Pequena Medium Grande Maior
  • Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

O Estado de S.Paulo

STJ nega pedido de prisão preventiva a pilotos do jato Legacy

Folha de São Paulo

Lufthansa 'copia' seleção alemã e, em baixa, parte para o ataque

O Globo

Airbus lança no Brasil avião mais moderno para competir com Boeing Dreamliner

G1

Dois voos foram cancelados no aeroporto de Aracaju

Aeroporto em Feira de Santana terá voo regular em setembro, indica Anac

Em turnê de testes, Airbus A350 XWB aterrissa em São Paulo

Aeroporto JK bate Congonhas e se torna o 2º mais movimentado do país

Avião retorna a Guarulhos após 5h de voo por suspeita de defeito em turbina

Valor Econômico

Embraer não teme ameaça de estatais na China

Tribuna do Norte - RN

GOL retoma voos diretos Natal-Recife

Gazeta do Povo - PR

Drones caem nas graças do mercado publicitário

Tribuna da Bahia

Voar aos sábados é mais barato

Panrotas

Azul terá dois novos voos para o NE a partir de CNF

Gol começa em outubro voos entre GRU e Punta Cana


O Estado de S.Paulo

07 Agosto 2014 | 17h 31

STJ nega pedido de prisão preventiva a pilotos do jato Legacy

Por unanimidade, os ministros negaram a medida liminar que pedia prisão imediata de Joseph Lapore e Jan Paul Paladino

BEATRIZ BULLA - O ESTADO DE S. PAULO


BRASÍLIA - O Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou na tarde desta quinta-feira, 7, pedido de prisão preventiva dos dois americanos que pilotavam o jato Legacy que se chocou com o Boeing 737 da Gol em 2006 e ocasionou a morte de 154 pessoas que estavam a bordo do voo 1907.


Por unanimidade, os ministros negaram a medida liminar que pedia prisão imediata de Joseph Lapore e Jan Paul Paladino. Entenderam que é preciso esperar o trânsito em julgado do processo e decidiram, após analisar dois recursos especiais sobre o caso, manter a condenação aplicada pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região: pena de três anos, um mês e dez dias de detenção, em regime aberto.


Sebastião Moreira/Estadão


Jato que se chocou com o Boeing 737 da Gol em 2006 e ocasionou a

morte

de 154 pessoas que estavam a bordo do voo 1907


O TRF-1 já havia reduzido a condenação da dupla, determinada pela Justiça Federal de Mato Grosso, que inicialmente era de quatro anos e quatro meses de prisão, por homicídio culposo.O Ministério Público Federal pedia no STJ o aumento da pena dos pilotos, enquanto a defesa pedia a redução, além de substituição da pena privativa de liberdade por pena restritiva de direitos.


O tribunal decidiu manter a pena base fixada, em um ano e nove meses, de modo a manter, também, a pena final. O subprocurador-geral da República, Antonio Augusto Aras, defendeu no STJ que fosse aumentada a pena base, por causa da violação de regras técnicas da profissão que ocasionou, de forma culposa, 154 mortes.


"Todos os alertas foram ignorados durante uma hora", afirmou. O assistente da acusação e advogado da associação de familiares e vítimas do acidente, ex-ministro do STJ Nilson Naves, também defendeu a majoração, ao afirmar que os pilotos causaram o segundo maior acidente aéreo da história.


A ministra relatora, Laurita Vaz, contudo, decidiu negar os recursos das duas partes. No entendimento da ministra, não foi "nada desarrazoada" a pena aplicada pelo TRF.


Atualmente, os pilotos moram nos Estados Unidos e são representados pelo advogado no processo. A defesa encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF) recurso extraordinário para discutir a substituição da pena e o tempo total estabelecido para detenção.


Folha de São Paulo

SEXTA-FEIRA, 8 DE AGOSTO DE 2014

Lufthansa 'copia' seleção alemã e, em baixa, parte para o ataque

DO "FINANCIAL TIMES"


A seleção alemã se preparava para embarcar no "Siegerflieger", da Lufthansa, no Rio, quando um caminhão de bagagens colidiu com o Boeing-747/8 e pôs em risco os planos da companhia alemã de ser o centro das atenções quando os campeões da Copa chegassem a Berlim.


Coube a um engenheiro de 28 anos decidir se o avião podia decolar. Após consultar a Boeing, ele aprovou o voo.


Carsten Spohr, o presidente-executivo, respirou aliviado. Ele, que assumiu em maio e tem licença de piloto, raramente enfrentou a turbulência desses cem dias no posto.


A derrubada do avião da Malaysia Airlines obrigou o setor a rever como difunde informações de segurança.


Enquanto isso, as ações da Lufthansa caíam, e Spohr cortava metas de lucro de 2014 e 2015 diante da queda no preço das passagens em rotas americanas e europeias. A receita no segundo trimestre frustrou, e a concorrência de empresas de baixo custo e rivais do Oriente Médio pesou.


A reação de Spohr, porém, se assemelha à da seleção alemã no 7x1 contra o Brasil na Copa: ele partiu para o ataque. "Não há como conquistar um título mundial jogando apenas na defesa", disse.


Um novo serviço de voos longos e baixo custo e a promessa de novos serviços de baixo custo em rotas curtas europeias conquistaram manchetes há um mês. Mas atraíram críticas de analistas para os quais a Lufthansa tenta se expandir sem encarar os altos custos na Alemanha.


Spohr diz que o conselho adotou medidas de eficiência e quer reduzir a hierarquia para enxugar a companhia.


Quer ainda elevar a fatia das empresas não ligadas à aviação na receita do grupo: "Um terço dos aviões em circulação usa nossos serviços de alimentação, e 10% usam os serviços de manutenção".


Considera até parcerias com as operadoras do Oriente Médio, como fizeram outras aéreas europeias e como a Lufthansa resistia em fazer.


"Se você é o líder mundial, tem de estar aberto a trabalhar com todo mundo."


O Globo

07/08/2014 16:48

Airbus lança no Brasil avião mais moderno para competir com Boeing Dreamliner

Novo A 350 tem iluminação especial, sistema que diminui pressão na cabine e poltronas espaçosas

POR ROBERTA SCRIVANO



Classe executiva do novo avião: mais espaço entre poltronas e iluminação

especial estão entre os diferenciais do modelo


GUARULHOS (SP) - O mais novo avião de passageiros do mundo, o Airbus A 350 XWB, que passou pelo aeroporto de Guarulhos (SP) nesta quinta-feira, conclui amanhã, na França, um tour mundial que faz parte do processo de certificação da aeronave. A previsão é que o avião comece a operar no Brasil no fim de 2015 pela TAM, informou o vice-presidente de Frota da companhia, José Zaidan Maluf.


O avião, de médio porte e longo alcance, tem parte da fuselagem feita com material similar à fibra de carbono usada nos carros da Fórmula 1. Em termos de inovação tecnológica, o modelo é compatível com o Dreamliner 787 e o 777, ambos da Boeing.


Com fuselagem leve e asas com design mais eficiente para quebrar a força o ar, o A 350 terá economia de combustível de 25% na comparação com aeronaves similares.


— Essa é a aeronave mais moderna da Airbus. Além da Tam, também temos outros dois clientes na América Latina, a Avianca e a Azul — disse Rafael Alonso, presidente da Airbus para a América Latina.


A TAM já encomendou 27 aviões deste tipo, que serão entregues entre 2015 e 2019. A Azul também já encomendou 5 unidades. A Avianca está em vias de fechar o pedido à Airbus, segundo informou Alonso. No total mundial, a Airbus já acumula 750 pedidos do A 350. O primeiro voo comercial da aeronave será no fim deste ano pela Qatar Airways.


A expectativa é que num prazo de 20 anos, sejam demandados 6,8 mil aeronaves deste modelo, estimou Maria Luiza Lucas, diretora de Marketing da Airbus. Segundo ela, boa parte dos pedidos devem ser oriundos da América Latina.


— A América Latina é o segundo mercado que mais crescerá ao longo dos próximos vinte anos. Aqui, o volume de passageiros triplicará neste período — afirmou.



Novo A 350: aeronave conclui tour mundial na França


ILUMINAÇÃO ESPECIAL E MAIS ESPAÇO ENTRE POLTRONAS


O A 350 traz uma série de inovações que prometem dar mais conforto aos passageiros de todas as classes. A pressão interna da cabine, por exemplo, equivale a uma altitude de 6 mil pés (relativamente baixa) o que reduz as dores de ouvido. Além disso, há 16,7 bilhões de tonalidades de lâmpadas LED programadas para fazer a iluminação durante todo o voo. Isso, diz Maria Luiza, deve ajudar a reduzir os efeitos do chamado jet lag (exaustão física sentida depois de longas viagens em que há mudança de fuso horário).


O sistema de entretenimento também é cheio de modernidades. Há telas individuais em todas as classes do avião, tem imagens em HD e 12 polegadas. As janelas são maiores que a média dos outros aviões e o chão não tem cabos nem degraus, tudo é embutido sob o piso.


A família A 350 XWB tem três modelos, todos destinados ao mercado de longas distâncias. O A350-800 pode chegar a 276 assentos e alcançar 8.250 milhas náuticas. O A350-900 tem até 315 assentos e chega a 7.750 milhas náuticas. O maior deles, que compete com o Boeing 777, pode chegar a 369 lugares e atingir 8.000 milhas. Há ainda mais espaço entre as poltronas (são filas de no máximo nove cadeiras) e cada passageiro pode acomodar até duas malas no bagageiro.


— O que oferecemos aqui é conforto, muito mais conforto, aos passageiros — arrematou Maria Luiza.


Apesar da redução do consumo de combustível, Maluf, da Tam, disse que não dá para garantir que o repasse será feito ao preço das passagens.


— O combustível é apenas um dos custos de voar. Para dizer que o preço da passagem vai cair, é preciso olhar uma série de dados econômicos também — afirmou.


G1

07/08/2014 19h22

Dois voos foram cancelados no aeroporto de Aracaju

Mal tempo foi motivo dos cancelamentos.

Novos fechamentos do aeroporto não estão descartados.

Do G1 SE


Um voo da TAM e outro da Gol foram cancelados no aeroporto Santa Maria, em Aracaju, na darde desta quinta-feira (7).


Segundo a Infraero, o motivo do cancelamento foram questões meteorológicas em virtude do grande volume de chuva.


A Infraero informou que o serviço foi normalizado, mas não descartou novos fechamentos já que fortes chuvas estão caindo na capital sergipana.


G1

07/08/2014 19h53

Aeroporto em Feira de Santana terá voo regular em setembro, indica Anac

Operação no aeroporto Governador João Durval Carneiro começa no dia 27.

Viagem inédita terá como primeiro destino a cidade de Vitória da Conquista.

Maiana Belo

Do G1 BA



Os voos no aeroporto de Feira de Santana começam a operar em

setembro.

(Foto:Heitor Fernandes/ Arquivo Pessoal)


O primeiro voo regular do aeroporto Governador João Durval Carneiro, em Feira de Santana, cidade a cerca de 100 Km de Salvador, está previsto para o fim de setembro, de acordo com informações obtidas junto à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Segundo o órgão, a data marcada é 27 de setembro.


A Agência informou ao G1 que o voo terá como destino Vitória da Conquista, cidade distante cerca de 400 km. Já no dia 28, vai acontecer a primeira viagem para a capital baiana. Apesar da estimativa, os pedidos ainda estão em análise, informa a Anac. A operação que sairá da cidade vai ser realizada pela companhia aérea Azul, o que foi confirmado pela empresa.


Até o momento, não há informações de quantas companhias áreas que atuarão no aeroporto Governador João Durval Carneiro e do número de voos que será realizado. O local foi fechado temporariamente no mês de abril de 2013 para manutenção na pista de pouso e decolagem. No mesmo mês, aviões de pequeno voltaram a pousar no aeroporto.



Área dedesembarque do aeroporto. (Foto: Danutta Rodrigues/ G1)



Aeroporto de Feira de Santana foi fechado para reparos no mês de

abril de 2013. (Foto: Danutta Rodrigues/ G1)


G1

07/08/2014 17h50

Em turnê de testes, Airbus A350 XWB aterrissa em São Paulo

Primeiras entregas do novo modelo deve ocorrer até o final do ano.

Aeronaves da nova família podem acomodar até 369 passageiros.

Do G1, em São Paulo



Airbus A350 XWB chegou nesta quinta-feira (7) a São Paulo

(Foto: Reuters)


O mais novo avião de passageiros produzido pela Airbus, A350 XWB, aterrissou nesta quinta-feira (7) no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, uma das paradas da sua turnê mundial de testes.


O modelo é o rival Airbus para o 787 Dreamliner da Boeing.


As aeronaves da nova família podem acomodar entre 276 e 369 passageiros.


Até o momento, a fabricante europeia já havia registrado mais de 740 encomendas em todo o mundo, incluindo TAM e Azul. As primeiras entregas dos modelos serão feitas para a Qatar Airways, com previsão até o final de 2014.



Interior da nova aeronave da Airbus com capacidade para até 369 passageiros

(Foto: Reuters)


G1

07/08/2014 21h01

Aeroporto JK bate Congonhas e se torna o 2º mais movimentado do país

Terminal subiu duas posições com 8,6 milhões de usuários no 1º semestre.

Copa e mais conexões domésticas elevaram movimento, diz Inframerica.

Do G1 DF



Passageiros nas novas salas de embarque do Aeroporto JK,

em Brasília (Foto: Lucas Nanini/G1)


O Aeroporto Juscelino Kubitschek, em Brasília, teve um aumento de 13,2% na movimentação de passageiros no primeiro semestre do ano e ultrapassou o Aeroporto de Congonhas (SP) como o segundo terminal brasileiro com o maior fluxo de usuários. Segundo a Inframerica, concessionária responsável pelo terminal, foram 8.630.589 de passageiros no período, contra 8.511.449 pessoas no aeroporto paulista.




Em quarto lugar, aparece o terminal do Galeão, no Rio de Janeiro, com 8.431.426 de usuários. Em primeiro lugar, ficou o aeroporto de Guarulhos, com 19 milhões de passageiros, segundo o consórcio GRU Airport.


No primeiro semestre deste ano, o terminal de Brasília teve 1,4% mais passageiros que Congonhas e 2,3% mais que Galeão.


No primeiro semestre de 2013, o Aeroporto de Brasília era o quarto do país, tendo recebido 7.619.594 de passageiros. Congonhas teve 8.469.609 de usuários. Galeão recebeu 7.880.002 pessoas, segundo a Infraero.


Durante todo o ano passado, o terminal recebeu 16.489.605 de passageiros. No mesmo período, Congonhas teve 17.119.530 de usuários; Galeão, 17.115.368.


De acordo com a Inframerica, a Copa do Mundo e a inclusão da Air France na malha aérea do aeroporto foram responsáveis pelo crescimento dos voos internacionais - que proporcionou aumento de 17% na quantidade de aeronaves e de 13% no número de usuários.


No primeiro semestre, o terminal recebeu 2.411 aviões e 277.633 mil passageiros. Em junho, mês em que foi realizado o Mundial, foram 555 pousos e decolagens de voos com destinos internacionais – a média mensal é 371.


A maior movimentação também se deve ao crescimento de conexões domésticas no primeiro semestre. Foram 4 milhões de passageiros em conexão pelo terminal, um aumento de 21% em relação a 2013.



Área interna do Aeroporto JK, em Brasília, após reforma

(Foto: Jua Pita/Inframerica/Divulgação)


“Conseguimos consolidar o Aeroporto de Brasília, favorecido por sua posição geográfica estratégica, como um centro de distribuição de rotas entre o norte e sul do país. Além disso, desenvolvemos nossa malha aérea internacional, dando ao passageiro a possibilidade de viajar para o exterior sem precisar se deslocar para a região sudeste”, disse o presidente da Inframerica, Alysson Paolinelli.


“A outra razão para o incremento na movimentação do aeroporto foi a redução da alíquota do Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços [ICMS] sobre o combustível para abastecer aviões, que caiu de 25% para 12%, atraindo novos voos para Brasília.”


As regiões Sudeste e Nordeste foram os destinos mais procurados no período. O aumento foi de 48% e 25%, respectivamente, segundo a concessionária.


G1

07/08/2014 10h24

Avião retorna a Guarulhos após 5h de voo por suspeita de defeito em turbina

Aeronave da South African Airways levava 183 passageiros a Joanesburgo.

Segundo a empresa, medida foi tomada por precaução.

Do G1 São Paulo


Um avião da South African Airways com 183 passageiros e destino à Joanesburgo retornou ao aeroporto de Guarulhos na madrugada desta quinta-feira (7) após o comandante suspeitar de um defeito na turbina da aeronave.


O Airbus 330-200, que havia partido do aeroporto às 23h35, começou a fazer o caminho de volta após duas horas e meia de viagem. O pouso foi às 4h50 em Cumbica.


Segundo a South African Airways, a medida foi de precaução e o avião retornou em segurança. Os passageiros foram acomodados em um hotel e vão embarcar em outro voo na noite desta quinta.


Valor Econômico

08/08/2014 às 05h00

Embraer não teme ameaça de estatais na China

Por Juliano Basile | De Brasília e Xangai


O desenvolvimento de novos modelos de aeronaves por companhias estatais da China, como a Commercial Aircraft Corporation of China (Comac), não é visto como uma ameaça pela brasileira Embraer, líder do mercado naquele país. A demanda na aviação doméstica chinesa tende a crescer de tal forma que há bastante espaço para os jatos da Embraer e também da concorrência.


A avaliação é de Paulo César Silva, presidente da Embraer Aviação Comercial, que tem 90% do mercado de jatos de cem assentos no país, justamente a faixa em que a Comac pretende ingressar a partir do ano que vem com o modelo ARJ 21.


Criada em 2008, a Comac já tem uma estrutura semelhante à do parque industrial da Embraer em São José dos Campos (SP). Seu objetivo é atender a demanda que cresce em proporções assustadoras. Em 2012, o tráfego aéreo na China alcançou 300 milhões de passageiros. A previsão é a de que atinja níveis dos Estados Unidos e de países desenvolvidos da Europa, com uma média de 700 milhões em 2020 e 1,5 bilhão em 2030.


Tribuna do Norte - RN

08 de Agosto de 2014 às 00:00

GOL retoma voos diretos Natal-Recife


A GOL informou ontem que vai retomar voos sem escalas entre Natal e Recife. A partir de dezembro deste ano, a Companhia passa a oferecer seis operações semanais entre as duas capitais, com voos no início da manhã e final da tarde, “por um demanda corporativa da região”. “A ação reforça o compromisso da Companhia com a região Nordeste, facilitando o deslocamento de clientes que viajam a negócios e a turismo”, informou, por meio da assessoria de imprensa. Os voos diretos estavam suspensos desde 2012. A nova rota já está à venda no site da empresa (www.voegol.com.br). Os trechos serão operados por aeronaves modelo Boeing 737-800 e configuração GOL+, que promete mais espaço entre as poltronas.


Gazeta do Povo - PR

08/08/2014

Drones caem nas graças do mercado publicitário

Equipamentos facilitam obtenção de imagens aéreas, a baixo custo. Setor agrícola também tenta embarcar no serviço

LOISE CLEMENTE, ESPECIAL PARA A GAZETA DO POVO


César Machado / Gazeta do Povo


Mario Barrionuevo, da Aeroclipe: hobby de aeromodelismo virou negócio sério


A utilização de veículos aéreos não tripulados (vant’s) tem se provado uma boa oportunidade de negócio para empresários dos mais variados setores no Paraná. A principal aposta está nos serviços de imagens aéreas, notadamente para a publicidade, onde o maior mercado é Curitiba. No interior do estado, o uso na agricultura para monitorar lavouras, apesar de tímido, começa a ganhar espaço.


Com menor custo, os equipamentos podem substituir as imagens feitas por helicópteros e em alguns casos as de satélites. Por facilitar a obtenção de imagens em locais de difícil acesso, os drones também são utilizados por empresas de segurança, construção civil, em eventos e inspeções técnicas e também no setor imobiliário.


O engenheiro mecatrônico Mario André Barrionuevo viu nos drones uma oportunidade de mercado. Há seis meses saiu da empresa onde trabalhava, procurou treinamento especializado e abriu a Aeroclipe em Curitiba. “Vi que não havia muitos profissionais na aérea e já tinha o aeromodeslimo como hobby”, conta.


A Aeroclipe trabalha principalmente em parceria com produtoras, fazendo imagens de chácaras, indústrias e vídeos institucionais. Em pouco tempo no mercado, a empresa já começa a atender outros estados. Um dos objetivos é oferecer, futuramente, cursos de operação de drones.


No interior do estado, em Cascavel, o engenheiro de telecomunicação Rodrigo Piana já havia trabalhado na área e pensou em aliar tecnologia à imagem. A Flydrones entrou no mercado paranaense há menos de um ano e além, de atender ao setor publicitário, também faz imagens aéreas para inspeção técnica de obras. “Até então dependia de helicópteros para esses trabalhos, com o drone ficou mais fácil e barato”, conta Piana.


Aquisição

O investimento em um drone pode começar em US$ 2,5 mil ( o equivalente a R$ 5,2 mil), sendo que alguns modelos chegam a custar muito mais. No Brasil, há cerca de dez fabricantes, a maioria deles no estado de São Paulo. A venda é permitida, mas a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) restringe o uso dos equipamentos. Também é necessário obter autorização do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea).


A agência está trabalhando na regulamentação da utilização dos drones e uma proposta deverá ser submetida a audiência pública neste ano.


Aparelhos auxiliam pesquisadores na agricultura de precisão

Com foco no monitoramento de grandes plantações, o Brasil é pioneiro no uso de drones na agricultura de precisão. As câmeras potentes podem captar excesso ou falta de água e encontrar falhas na plantação a tempo de serem corrigidas. Estima-se que em todo o país cerca de 200 drones sobrevoem as lavouras. No Paraná, a utilização dos equipamentos está em fase de testes.


Desde o início desse ano, a Fundação ABC de Pesquisa e Desenvolvimento Agropecuário, localizada em Castro, nos Campos Gerais, captura imagens com drones em um campo experimental. “O benefício é que conseguimos imagens de grandes áreas em menos tempo”, afirma o coordenador de pesquisa de mecanização agrícola da Fundação, Fabrício Povh.


Algumas consultorias especializadas em agricultura de precisão oferecem o serviço no Paraná. Uma delas, a Meta Agrícola, de Astorga, no Norte do estado, trabalha com imagens aéreas há um ano. Segundo Sandro Kuramae, agrônomo e proprietário da consultoria, a procura ainda é maior por agricultores de outros estados, como Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.


Software

Depois das imagens coletadas, o desafio é transformar a foto em uma informação útil. “Estamos definindo algoritmos para mecanizar o processo. Queremos saber o que a mancha na planta significa sem precisar ir até lá”, explica Povh.


A busca agora é pelos softwares de análise. “As ferramentas de análise da foto são o limitante”, diz o pesquisador da Embrapa Lucio Jorge.



Tribuna da Bahia

07/08/2014 09:40:52

Voar aos sábados é mais barato

por iG - O Dia


Fazer uma viagem aérea às segundas-feiras pode não ser um bom negócio. É o que revela uma pesquisa feita pela agência online ViajaNet. Conforme o levantamento, o preço das passagens de avião varia em mais de 30% de acordo com o dia escolhido para o embarque. O primeiro dia útil da semana tem o bilhete mais caro, enquanto que o sábado possui o tíquete mais barato.

A média geral de preços indica que a passagem aérea para embarcar aos sábados é cerca de 25% mais em conta em relação ao resto da semana. Por outro lado, a segunda-feria apresenta um custo 30% superior em relação aos outros dias.


Segundo o estudo, o trecho entre o Rio e João Pessoa, na Paraíba, é um dos mais caros do país, e custa cerca de R$ 1,8 mil para uma viagem numa segunda-feira de agosto. Se a viagem for feita aos sábados, o mesmo percurso sai 60% mais barato, por cerca de R$ 730.


A pesquisa revela ainda que um dos trechos com preço mais baixo é a ponte área do Rio de Janeiro para São Paulo, comprada para embarque em um sábado em novembro. O valor fica em de cerca de R$ 50.


“Pelo levantamento, a sexta-feira é o dia mais procurado pelos brasileiros, enquanto que o domingo tem a menor procura”, revela Gustavo Mariotto, gerente de marketing da ViajaNet. “Por essas razões, é fundamental que o consumidor pesquise muito antes de comprar passagem aérea e, se possível, se programe com antecedência”, completa Mariotto.


Comprar bilhete aéreo barato pela internet é uma arte. Desde que os preços começaram a ficar mais acessíveis, muita gente deixou de usar o ônibus e prefere gastar um pouco mais para ganhar algumas horas de lazer no destino escolhido.


No entanto, os preços das passagens áreas podem variar muito segundo o dia escolhido. Mas há diversos fatores, que implicam num sobrepreço como o grupo de assentos e os horários dos voos. Por isso, em uma mesmo avião, passageiros que pagaram R$ 59 e R$300 podem estar sentadas lado a lado na viagem.


O custo fica maior, caso o passageiro deixe para comprar o bilhete muito próximo da data de embarque. Quanto maior a antecedência de aquisição, menor será o custo da passagem. Em meio à variedade de companhias aéreas, de sites de pesquisa de preços e de promoções nas redes sociais, fica fácil o consumidor se perder.


DICAS

As aéreas oferecem passagens mais baratas entre 10h e 16h, de segunda a sexta-feira. Isso ocorre, pois a maioria das pessoas viaja a trabalho. Então, os horários do início da manhã e os do final da tarde são os mais concorridos e, portanto, os mais caros.


Pelo mesmo motivo, os bilhetes são mais baratos no meio da semana, como terça e quarta-feira. No fim de semana, é mais barato ao sábado, após o meio-dia, e no domingo, antes do meio-dia.

Algumas companhias vendem lugares com até oito meses de antecedência e, segundo especialistas, a partir daí só encarecem.


Muitas promoções aparecem nas páginas das redes sociais nas companhias aéreas, principalmente nos fins de semana.


Panrotas

7/8/2014 17:32:00

Azul terá dois novos voos para o NE a partir de CNF



Empresa acrescentará o primeiro voo direto entre CNF e Natal e mais

uma nova frequência ao Recife


A Azul terá dois novos voos aos sábados ligando Belo Horizonte (Confins) ao Nordeste. As operações serão realizadas a partir de 30 de agosto, com a primeira trecho direto entre a capital mineira e Natal, além de uma nova frequência sem paradas para o Recife. “Com as novas ligações, levaremos ainda mais turistas para duas das mais belas cidades brasileiras. A decisão da companhia se deve ao acréscimo de demanda que temos na capital mineira”, afirma o diretor de Planejamento e Alianças da Azul, Marcelo Bento.


Rafael Carreira


Panrotas

7/8/2014 14:41:00

Gol começa em outubro voos entre GRU e Punta Cana




A partir de 26 de outubro, a Gol começa a operar três frequências semanais entre São Paulo e Punta Cana, na República Dominicana. “Nos últimos anos, Punta Cana se tornou um dos destinos preferidos dos turistas brasileiros. Seguindo o compromisso de servir com cada vez mais excelência e inteligência, a Gol criou essa nova rota, sem escalas, visando atender esse público com maior conveniência e conforto”, disse o diretor executivo de Planejamento da Gol, Celso Ferrer.


As frequências serão operadas às quintas-feiras, sábados e domingo, partindo do aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, às 16h30 e chegando ao destino dominicano às 21h25. A volta ocorre às 22h15, do aeroporto de Punta Cana, com pouso previsto para às 7h15 em Guraulhos, segundo a companhia aérea. As operações serão realizadas com o Boeing 737-800, com a configuração Gol+. Hoje, a companhia soma 72 voos semanais para destinos do Caribe, como Aruba, Santo Domingo e Barbados. Recentemente, a Gol começou a voar também para Miami, a partir do Aeroporto de Viracopos, em Campinas, com escala em Santo Domingo, capital da República Dominicana.


Maria Izabel Reigada

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS