AeroClippi?ng, quarta-fei?ra, 13/08/14 - ano XII - nº 233

Fonte
  • Menor Pequena Medium Grande Maior
  • Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

Galeão e Confins entram em nova fase

Paralisação de pilotos cancela 30 voos no país

Embraer recebe da Anac certificação de Legacy 500

Mais luxo que na primeira classe, só na suíte voadora

Receita para tirar aves de perto do aeroporto

Folha de São Paulo

Latam Airlines tem prejuízo de US$ 58,9 milhões no 2º trimestre

Anac anuncia nova capacidade de voos em Congonhas na semana que vem

Infraero pode desembolsar até R$ 728 milhões com demissão voluntária

O Globo

Patrimônio de heptacampeão à venda

Rio Galeão

Novo jato executivo da Embraer tem tamanho de apê mas preço de mansão

G1

Feira em SP exibe 70 aviões e helicópteros executivos

Embraer aposta em atendimento especial a donos de jatos executivos

Valor Econômico

Na Argentina, pilotos param e afetam Brasil

Correio do Povo - RS

Comissário da Malaysia Airlines é indiciado por agredir sexualmente uma passageira

Helicóptero que evacuava sitiados cai no Iraque

Estado de Minas

Tarifas de embarque sobem com Confins privatizado

Pilotos da Aerolíneas Argentinas suspendem greve

Hoje em Dia - MG

Confins privatizado começa a operar quase sem novidades

Mercado&Eventos

Gol e Smiles assinam codeshare com a Aeroméxico

Panrotas

Iata: 2013 tem 1,1 mil novas rotas e 600 mil novos voos

Azul confirma voos para Fort Lauderdale e Orlando

Sky Airline anuncia entrada no BSP


O Estado de S.Paulo

Quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Galeão e Confins entram em nova fase

Iniciativa privada assume controle dos aeroportos, mas mudanças devem demorar

Daniela Amorim / RIO

Marcelo Portela

BELO HORIZONTE


MARCOS ARCOVERDE/ESTADÃO


Nova cara. Primeiro dia de funcionamento do Aeroporto do Galeão sob controle privado


Os aeroportos do Galeão, no Rio, e de Confins, em Belo Horizonte, entraram ontem em uma nova fase, com o início do controle privado. Para os passageiros, a esperança é que os velhos problemas sejam enfim solucionados e os terminais possam se tornar confortáveis e eficientes.


As mudanças, porém, não serão imediatas. Ontem, no Galeão, o vaivém de operários no saguão denunciava que o aeroporto ainda é um grande canteiro de obras, dentro e fora dos terminais de embarque e desembarque.


Algumas alterações cosméticas já foram feitas. A sinalização foi trocada, os tetos foram reparados e plantas foram colocadas em algumas áreas comuns. Também começaram a funcionar os postos de informação nas áreas de desembarque e foram inaugurados dois fraldários remodelados, entre os quatro previstos.


“Estámudando. Antes não tinha nem banco para sentar lá fora, não tinha flores, era meio mórbido”, lembrou o auxiliar de passageiro, Paulo Lima. Mas a lista de problemas é longa, como máquinas automáticas de check-in enguiçadas, passagens interditadas, fiações expostas e esteiras rolantes desativadas. “O terminal 2 ainda está melhor do que o terminal 1, mas não é bom o suficiente”, sentenciou o australiano Andrew Bruckin, profissional do ramo de mineração.


O consórcio Rio Galeão é formado pela Odebrecht Transport e Changi Airports International, com uma fatia de 51%, e Infraero,comos49%restantes. O plano do grupo é investir R$5 bilhões no Galeão nos 25 anos de concessão.


Confins. No caso de Confins, a mudança mais perceptível ontem foi o aumento nas taxas de embarque (de R$ 21,57 para R$ 23,37 nos voos domésticos e de R$ 38,18 para R$ 41,40 nos voos internacionais), que já havia sido definido pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) em maio. Também foram instalados pontos de informação que servem como uma espécie de “ouvidoria” para receber reclamações e sugestões dos usuários.


Na prática, as mudanças que terão mais impacto no dia a dia de quem passa pelo aeroporto devem ocorrer a partir do início do ano que vem. Este é o prazo previsto para a conclusão das obras de ampliação do terminal 1, que foram iniciadas pela Infraero e deveriam ter sido finalizadas antes do início da Copa do Mundo.


A ampliação elevará a capacidade do aeroporto dos atuais 10,3 milhões para 11,8 milhões de passageiros por ano. Até abril de 2016, o consórcio BH Airport terá de entregaroterminal2, cuja construção está prevista para ser iniciada ano que vem, e que permitirá o uso do terminal por mais de 20 milhões de passageiros por ano.


O BH Airport, formado pelo grupo CCR e pela Zurich Airport International, além da Infraero, que é minoritária, prevê investimentos de R$ 3,5 bilhões nos 30 anos de concessão.


O Estado de S.Paulo

Quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Paralisação de pilotos cancela 30 voos no país

BUENOS AIRES


Uma greve dos pilotos das companhias estatais aéreas Aerolíneas Argentinas e Austral deixou ontem milhares de pessoas sem transporte aéreo em toda a Argentina. Trinta voos das duas empresas, que cobrem mais da metade do mercado doméstico aéreo do país, foram suspensos por causa da paralisação. Os passageiros, muitos dos quais turistas brasileiros, tiveram de passar o dia nos aeroportos, à espera da retomada dos voos.


Pouco mais de cinco horas após o início, o Ministério do Trabalho determinou a suspensão da greve e convocou uma conciliação obrigatória entre a diretoria da empresa e a Associação de Pilotos das Linhas Aéreas. Os pilotos exigem altas salariais que compensem a escalada inflacionária.


A Aerolíneas acusou os sindicalistas de fazerem uma greve “intempestiva, desproporcional e irrazoável”. Segundo a estatal, os pilotos são “privilegiados” que têm “elevados salários” e “luxuosas condições de trabalho”. A companhia divulgou ontem que os salários dos pilotos ultrapassam os US$ 10 mil. Os sindicatos afirmam que não passam de US$ 2.400.


A Aerolíneas sustentou em nota que pretende “recompensar os passageiros pelos prejuízos causados”.


Segundo o chefe do gabinete de ministros, Jorge Capitanich, “a finalidade dos sindicatos é a de criar conflitos, já que estão alinhados com a oposição”.


Com a subsidiária Austral, a Aerolíneas é responsável por mais de 80% dos voos internos e mais de 50% das viagens internacionais.


/ A.P.


O Estado de S.Paulo

12 Agosto 2014 | 18h 38

Embraer recebe da Anac certificação de Legacy 500

A certificação do novo jato foi anunciada na feira de aviação executiva Labace, em São Paulo

REUTERS



Segundo a Embraer, a produção em série do Legacy 500 já foi iniciada

e a primeira entrega está prevista para setembro


A fabricante de aeronaves Embraer obteve nesta terça-feira certificação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para seu novo jato executivo Legacy 500, informou a companhia em comunicado.

A certificação do novo jato foi anunciada na feira de aviação executiva Labace, em São Paulo.


A empesa agora espera receber certificação da Federal Aviation Administration (FAA), autoridade aeronáutica dos Estados Unidos, nas próximas semanas e em seguida a certificação da European Aviation Safety Agency (EASA), responsável pela homologação na Europa.


Segundo a Embraer, a produção em série do Legacy 500 já foi iniciada e a primeira entrega está prevista para setembro. Até seis aeronaves serão fabricadas em 2014 e o aumento da produção vai ocorrer ao longo de 2015, disse a empresa em comunicado.


Para receber a certificação, o programa de ensaios em voo foi composto de quatro protótipos, frota que realizou mais de 1.800 horas de voo. Além disso, mais de 20 mil horas de testes foram conduzidas em laboratórios.


(Por Asher Levine; Reportagem adicional de Juliana Schincariol; Edição de Luciana Bruno)


O Estado de S.Paulo

Terça-Feira 12/08/14

Mais luxo que na primeira classe, só na suíte voadora

Passageiro terá uma saleta com dois sofás, televisão de 32 polegadas, geladeira, banheiro com ducha e quarto com cama dupla. Com um mordomo exclusivo

ECONOMIA & NEGÓCIOS



Um mordomo particular faz parte do pacote da suíte voadora (NYT)


LOS ANGELES – Com as viagens de avião mais desconfortáveis do que nunca, mostrei-me receptivo quando uma funcionária da Etihad Airways me viu no saguão da convenção da Associação Global de Viagens de Negócios recentemente e me conduziu em seguida ao balcão de demonstração do mais novo exemplo de luxo na aviação comercial.


Tratava-se da “Residence”, um suíte de três cômodos que a Etihad vai instalar nas seções de primeira classe de suas aeronaves A380 superjumbo, dos quais o primeiro deve entrar em operação no dia 27 de dezembro. A suíte de 11 metros quadrados é composta por uma saleta com dois sofás, uma televisão de 32 polegadas e uma geladeira, um banheiro com ducha completa e, no final do corredor acarpetado, um quarto com cama dupla.



Suíte tem 11 metros quadrados e três cômodos (NYT)


“Quero que os passageiros esqueçam que estão num avião”, disse Aubrey Tiedt, vice-presidente da Etihad para serviços aos hóspedes, que ajudou a criar o conceito e o design. A ideia é fazer o espaço parecer a suíte de um hotel, disse ela.


Um mordomo, Tomas Piroska, assistia a tudo discretamente usando luvas brancas e um terno elegante. “Também sou chef”, disse ele. ”Do Savoy, em Londres”, disse Aubrey.

Ela parecia um pouco perplexa diante do quanto aquilo tudo parecia me divertir. Aubrey não sabia que, em meu mais recente voo, eu ficara espremido entre um homem suarento e uma mulher segurando um bebê que não parou de chorar. A ideia de uma suíte de três cômodos dentro de um avião me pareceu hilária.


“Não é apenas uma ideia excêntrica”, insistiu Aubrey. “Há um mercado para esse tipo de coisa.” Não tenho dúvida disso, levando-se em consideração que existe também um mercado para o novo jato Gulfstream G650, que custa cerca de US$ 65 milhões (e mais alguns milhões para equipar a cabine).


A Gulfstream vendeu 42 desses no ano passado e diz que a lista de espera dos pedidos chega a quatro anos. Existe até um mercado para a conversão privada de aeronaves comerciais como o A380, de dois andares, que tem preço de US$ 403,9 milhões antes da instalação do interior personalizado (Preço do interior? Mais de US$ 100 milhões).


Deixando de lado as aeronaves comerciais convertidas, 678 jatos de negócios modelo padrão foram entregues no ano passado, ao custo de aproximadamente US$ 21 bilhões, diz a Associação Geral dos Fabricantes da Aviação. Em comparação, o preço das passagens par a suíte de primeira classe da Etihad parece relativamente modesto.


O preço inicial da passagem só de ida é de aproximadamente US$ 20 mil – o preço é o mesmo para um ou dois passageiros – para os primeiros voos do A380, que começarão a partir em dezembro da base da Etihad em Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos, com destino a Londres.



Passagem só de ida custa US$ 20 mil (NYT)


Trata-se de um voo de seis horas e meia – não é muito tempo para aproveitar as refeições chiques e vinhos servidos pelo mordomo, assistir a um filme na tela de 32 polegadas ou usar a cama dupla. Conforme a Etihad receber aeronaves A380 adicionais (foram encomendadas outras 10), cada uma equipada com suíte, a empresa aérea pretende oferecer serviço em rotas mais longas.


A Emirates, mais conhecida rival da Etihad no segmento de transportes aéreos de luxo, definiu o padrão em 2008 ao introduzir uma cabine de primeira classe em seus A380, com portas deslizantes para garantir a privacidade.


Joe Sharkey, The New York Times

Tradução de Augusto Calil


O Estado de S.Paulo

Terça-Feira 12/08/14

Receita para tirar aves de perto do aeroporto

Enquanto o Brasil luta para afastar urubus dos seus aeroportos, nos Estados Unidos um administrador espalha grama e flores altas para tirar os gansos das imediações

CLEY SCHOLZ



Diretor do aeroporto de Ohio usa vegetação alta para afastar gansos


A foto mostra Terrence Slaybaugh, diretor de aviação do Aeroporto Internacional de Dayton, em uma pradarias ao lado do aeroporto em Vandalia, Ohio. Em um esforço para manter as aves longe das turbinas das aeronaves, o aeroporto está experimentando o plantio da grama de pradaria com mais de um metro de altura. As aves de maior porte, como gansos, que podem causar acidentes quando sugadas pelas turbinas dos aviões, fogem desse tipo de vegetação por sabem que elas podem esconder predadores. Nos aeroportos brasileiros, as autoridades ainda tentam acabar com lixões que atrem urubus em muitos deles.


(AP Photo)


Folha de São Paulo

12/08/2014 20h13

Latam Airlines tem prejuízo de US$ 58,9 milhões no 2º trimestre

DA REUTERS


A Latam Airlines, formada pela chilena LAN e pela brasileira TAM, informou nesta terça-feira (12) que teve prejuízo líquido de US$ 58,9 milhões no segundo trimestre, atingida pela menor demanda por bilhetes no segmento corporativo durante a Copa do Mundo no Brasil.


O resultado de abril e junho foi pior do que o prejuízo de US$ 32 milhões esperado por analistas, segundo pesquisa da Reuters.


As receitas operacionais do grupo, o maior de transporte aéreo comercial na América Latina, totalizou US$ 2,971 bilhões no trimestre, queda anual de 1,2%.


Com o resultado, a Latam acumulou perda de US$ 100,2 milhões no primeiro semestre, inferior ao prejuízo de US$ 287,08 milhões no mesmo período em 2013.


Com sede em Santiago, a Latam tem unidades de operação na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai e Peru.


Latam Airlines/2014

Faturamento US$ 3 bilhões

Prejuízo líquido US$ 58,9 milhões

Número de funcionários 52 mil

Principais concorrentes Gol, Azul, Avianca


Folha de São Paulo

12/08/2014 19h22

Anac anuncia nova capacidade de voos em Congonhas na semana que vem

MARIANA BARBOSA

DE SÃO PAULO


O diretor-presidente da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), Marcelo Guaranys, afirmou nesta terça-feira (12) que a nova oferta de autorização para pousos e decolagens no aeroporto de Congonhas deve ser anunciada até meados da próxima semana.


"Recebemos informações de capacidade do controle de tráfego aéreo e da Infraero e estamos fazendo os cálculos", disse Guaranys, durante a abertura da feira de aviação executiva Labace, em São Paulo.


Segundo Guaranys, junto com o anúncio da nova capacidade do aeroporto será feito o anúncio da distribuição das novas autorizações para a Azul e para a Avianca. O aeroporto de Congonhas tem hoje capacidade para 34 movimentos por hora, sendo que 30 são destinados à aviação comercial e quatro movimentos à aviação executiva.


O aeroporto teve sua capacidade reduzida por uma determinação de governo, após o acidente com o Airbus da TAM, em 2007.


Folha de São Paulo

12/08/2014 18h58

Infraero pode desembolsar até R$ 728 milhões com demissão voluntária

DO VALOR


A Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária) pode desembolsar até R$ 728 milhões com o Programa de Demissão Voluntária, caso os 2.900 funcionários da companhia que são alvo da medida decidam aderir à iniciativa. Até o momento, 2.008 empregados entraram no programa. A Infraero negocia com o Ministério do Planejamento a liberação de recursos para pagamento das indenizações.


Com a concessão dos aeroportos de Guarulhos, Campinas (SP), Brasília (DF), Galeão (RJ) e Confins (MG) e o encerramento das atividades do Aeroporto de Natal, a Infraero implantou, desde 2012, o Programa de Incentivo à Transferência ou à Aposentadoria (PDITA), por meio do qual oferece aos empregados desses terminais a opção de desligamento da empresa.


A ideia é reduzir a quantidade de funcionários contratados pela Infraero para que a estatal possa se ajustar à nova realidade das suas receitas. Atualmente, a empresa pública conta com cerca de 12.500 servidores.


A Infraero negocia ainda com o governo federal o ressarcimento de R$ 500 milhões relativos aos serviços de navegação aérea. Em evento na segunda-feira, o presidente da Infraero, Gustavo do Vale, disse que navegação aérea e PDV é custo do Estado. "Enquanto a Infraero era rentável, podia arcar", destacou.


A empresa informou ainda que "as negociações para os ressarcimentos relativos aos serviços de navegação aérea não estão relacionadas ao PDITA, e sim à necessidade de readequação das despesas da Infraero de forma geral. Não há um prazo para essa definição".


O Globo

Quarta-feira 13.8.2014

Patrimônio de heptacampeão à venda

Mulher do ex-piloto quer vender avião que está avaliado em € 20 milhões


divulgação


À venda. O jato do modelo Falcon 2000EX, que pertence ao superastro Michael Schumacher


-BERLIM- Oito meses depois do trágico acidente nas pistas de esqui dos Alpes franceses, o heptacampeão da F-1, Michael Schumacher, continua enfrentando a luta mais difícil da sua vida. O ex-piloto sofreu gravíssimos ferimentos no cérebro, foi operado três vezes, e passou vários meses em coma. Depois de ser sido transferido para uma clínica de reabilitação em Lausanne, na Suíça, a família mantém sigilo absoluto sobre seu estado.


Quanto ao futuro, o indício de que, mesmo que melhore, ele nunca mais será o que era foi mostrado por sua mulher, Corinna, há poucos dias. Ela pôs à venda, por € 20 milhões (R$ 60,8 milhões), o jatinho do piloto, com o qual ele voava 400 horas por ano mesmo depois de ter parado de correr. Para o médico Gerard Saillant, ninguém pode prever até que ponto as sequelas causadas do traumatismo craniano vão permanecer ou diminuir.


Desde o acidente de 29 de dezembro último, Schumacher não conseguiu falar ou se movimentar, mas apenas piscar os olhos. O ex-piloto Gerhard Berger comentou:


— Milagres sempre são possíveis. A tentativa de um funcionário do serviço de ambulâncias de vender a ficha hospitalar de Schumacher por 50 mil euros terminou em tragédia. O alemão negou envolvimento, mas foi preso na semana passada. Um dia depois, enforcou-se na sua cela.


Sabine Kehm, empresária de Schumacher, isentou a família de responsabilidade pela prisão.


— Estamos consternados e chocados — disse Corinna. ●


O Globo

Quarta-feira 13.8.2014

Rio Galeão

Dos leitores


A Rio Galeão, empresa privada, assumiu o Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro. A Infraero quer uma compensação do governo para demitir “voluntariamente” 2.500 empregados. Os anticapitalistas de plantão vão bradar que privatizações causam desemprego. Quem isto disser estará trocando as causas pelos efeitos. Na verdade, são as estatizações que fazem com que empresas públicas se tornem currais eleitorais e prateleiras de inúteis dos quais, agora, um empresário visionário e produtor irá se desfazer.

RICARDO BELLIDO

RIO


A Infraero presenteou o consórcio vencedor da concessão com um aumento de 40% no preço da tarifa do estacionamento. Passamos a ter um dos aeroportos mais caros do mundo. Sendo que os terminais mundo a fora têm estrutura de transporte público, podendo o usuário optar pelo carro, ou não. Aqui, somos obrigados ao táxi superfaturado ou a ser roubado no estacionamento. E a justificativa dos empresários é que haverá melhorias, como vigilância, instalações de câmeras e aumento de vagas. Ora, isso não é mais do que obrigação. Assim é fácil tocar concessão.

FLÁVIO RODRIGUES FONSECA

MENDES, RJ


O Globo

12/08/2014 22:32

Novo jato executivo da Embraer tem tamanho de apê mas preço de mansão

Dez aeronaves já foram entregues a ricaços de várias partes do mundo, nenhum brasileiro

POR LINO RODRIGUES



O interior do novo Lineage 1000E - Fernando Donasci / O Globo


SÃO PAULO — O tour de apresentação resume em poucas palavras: “é uma casa voadora”. É assim o primeiro contato dos visitantes da 11ª edição de Labace, feira internacional de aviação, em Congonhas, com o Lineage 1000E. O avião, fabricado pela Embraer em São José dos Campos, é uma das maiores aeronaves do mundo para jatos executivos. Suas dimensões são comparáveis a um apartamento de 70 metros quadrados, mas para “habitar” a casa voadora, o investimento é de mansão: US$ 60 milhões (equivalente a R$ 136,2 milhões).


Até agora, dez aeronaves foram entregues a ricaços de várias partes do mundo, mas nenhum deles é brasileiro. A manutenção também representa um investimento. Para manter o avião em operação (a autonomia é de 8 mil quilômetros), o custo chega a US$ 6,5 mil por hora.



Aeronave possui três banheiros com chuveiro e cozinha

Fernando Donasci / O Globo


O interessado encontra um apartamento completo: cozinha com dois ambientes, suíte master, cama queen size e box com chuveiro, sala de jantar, escrivaninha e sala de estar. O avião acomoda 19 pessoas, entre tripulantes e passageiros.


O preço do avião inclui os equipamentos que fazem parte desta configuração, como aparelhos digitais de última geração, louças, cristais e pratarias, além de piso em granito ou mármore, uma novidade ao gosto dos clientes.


G1

12/08/2014 19h26

Feira em SP exibe 70 aviões e helicópteros executivos

Empresa oferece helicóptero para 'pronta entrega' por US$ 5,9 milhões.

Frota de aeronaves executivas do país totaliza mais de 14 mil unidades.

Darlan Alvarenga

Do G1, em São Paulo



Ingresso da feira para o público em geral custa R$ 350

(Foto: Darlan Alvarenga/G1)


O Aeroporto de Congonhas recebe desta terça-feira (12) até quinta-feira (14) a 11ª edição da Labace (Latin American Business Aviation & Conference), anunciada como a maior feira de aviação executiva da América Latina e a 2ª maior do mundo.


Estão sendo expostas 70 aeronaves, entre aviões e helicópteros, e cerca de 90 empresas participam da feira expondo produtos e serviços. Os organizadores esperam um público de 14 mil pessoas.


Entre os modelos expostos estão aeronaves da Embraer, Boeing, Bombardier, Cessn, Beechcraft, Gulfstream, Dassault Falcon, Líder Aviação e TAM aviação. Helibrás, Bell e Agusta também são algumas das empresas de helicópteros participantes.


Nesse mercado, os preços giram na casa dos milhões de dólares. Os modelos "mais populares" da feira custam a partir de US$ 4 milhões. O Citation M2 da Cessna, por exemplo, com capacidade para 7 passageiros, é anunciado por US$ 4,5 milhões.


Já o helicóptero italiano Agusta modelo AW109 Power é oferecido pela importadora Via Itália por US$ 5,9 milhões mais impostos para "pronta entrega". "É só fazer o cheque e levar", disse Cassio Poli, representante da empresa, explicando que sob encomenda a compra do modelo costuma levar de 8 a 10 meses.



Helicóptero é oferecido por US$ 5,9 milhões para pronta entrega

(Foto: Darlan Alvarenga/G1)


Para pilotos e mecânicos da aviação civil e funcionários da Aeronáutica e Forças Armadas, a entrada na feira é gratuita. Já para o público em geral, o preço da entrada dá uma ideia do público alvo do evento: o ingresso custa R$ 350. Já o estacionamento custa R$ 70. Estudantes de aviação pagam R$ 175 e funcionários das empresas expositoras pagam R$ 50.


Frota cresceu 5% no ano passado

Segundo dados do Anuário Brasileiro de Aviação Geral, divulgado nesta terça-feira pela Associação Brasileira de Aviação Geral (Abag), a frota de aeronaves executivas do país cresceu 4,9% ou 756 unidades em 2013, totalizando 14.648 aviões e helicópteros. O valor da frota é estimado em US$ 12,3 bilhões.


A frota de helicópteros executivos avançou 8,8% no ano passado, para 2.060 aeronaves.

Segundo a Abag, as receitas com exportações de aeronaves somaram R$ 3,8 bilhões em 2013 e incluíram 158 unidades. Já as importações totalizaram R$ 2,99 bilhões, incluindo 473 aeronaves usadas e 188 novas.


SERVIÇO:

Labace - Latin American Business Aviation & Conference

De 12 a 14 de agosto, no Aeroporto de Congonhas, São Paulo, portão 3.

Endereço: Av. Washington Luis, 6000

www.abag.org.br/labace2014



Labace 2014 exibe 70 modelos de aeronaves executivas

(Foto: Darlan Alvarenga/G1)



Visitantes podem conferir de perto o interior das cabines de comando

(Foto: Darlan Alvarenga/G1)



Challenger 350 da Bombardier possui um sofá além de poltronas

(Foto: Darlan Alvarenga/G1)



Modelo Cessna para até 7 passageiros é oferecido por US$ 4,5 milhões

(Foto: Darlan Alvarenga/G1)


G1

12/08/2014 10h32

Embraer aposta em atendimento especial a donos de jatos executivos

Com atual perspectiva, empresa deve lucrar cerca de US$ 53 bi até 2024.

Fabricante anunciou novo centro de suporte a cliente no nordeste.

Fábio França

Do G1 Vale do Paraíba e Região



Legacy 650 é a aposta da Embraer na categoria large

(Foto: Fábio França/G1)


Com estimativa de faturar ao menos 20% dos US$ 265 bilhões que o mercado de aviação executiva deve gerar até 2024, caso mantenha o desempenho atual, a Embraer, fabricante de aviões com sede em São José dos Campos, aposta em atendimento personalizado aos clientes do setor para ganhar mais destaque neste segmento do mercado.


Na segunda-feira (11), durante coletiva na 11ª edição da Feira Latino-Americana de Aviação Executiva (Labace), evento considerado o segundo maior 'salão de aviões' executivos do mundo, a fabricante de aviões anunciou a expansão da rede de suporte no nordeste, com um contact center - uma central de monitoramento que trabalha para atender a donos de jatos - em Igarassu, região metropolitana de Recife (PE). O local será voltado a atendimento remoto dos jatos Phenom 100 e Phenom 300. Atualmente, um engenheiro de suporte de campo realiza o atendimento no local.


Além do anunciado pela Embraer, a empresa mantém um contact center em São José dos Campos, onde 13 técnicos atendem aos donos de jatos executivos, e outro em Sorocaba, no interior de São Paulo.


“Com o crescimento da frota de jatos executivos no Brasil é fundamental uma boa cobertura de suporte”, disse Marco Túlio Pellegrine, presidente da divisão de jatos executivos da Embraer.


Com concorrência acirrada com empresas como a Cessna, na categoria de médio porte, a fabricante de aviões brasileira destaca ainda a participação no mercado mundial da categoria de aviões executivos, que passou de 3,3% em 2008 para 17,6% em 2013.


Feira

A Labace, que começa nesta terça-feira (12) no aeroporto de Congonhas, deve reunir cerca de 200 empresas do setor, entre fabricantes, operadores e prestadores. Além de expor cinco aeronaves - Phenom 100E, Phenom 300, Legacy 500, Legacy 650 e Lineage 1000E -, a Embraer deve usar o evento para reforçar o contato com clientes e alavancar novos negócios.


O evento segue até quinta-feira (14) e os ingressos custam R$ 350. A feira acontece no Aeroporto de Congonhas, que fica na Av. Washington Luís, nº 6000 - Portão 3.


Valor Econômico

13/08/2014 às 05h00

Na Argentina, pilotos param e afetam Brasil

Por João José Oliveira | De São Paulo


A greve de pilotos da Aerolíneas Argentinas, decretada ontem, afetou rotas que atendem o mercado brasileiro, com três voos cancelados ao longo do dia, segundo informou a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).


Segundo dados dos Núcleos Regionais de Aviação Civil (Nuracs), da Anac, os passageiros receberam assistência da empresa e foram realocados em outras companhias para o destino final.


Ontem, a Aerolíneas Argentinas teve todos os voos partindo do país cancelados por causa de uma greve dos pilotos da companhia, promovida pelos dois principais sindicatos do setor. Os trabalhadores querem adiantar as negociações salariais.


A situação é de impasse porque a companhia acusa os sindicatos de terem quebrado os atuais acordos salariais e de desrespeitar a lei - que pede aviso prévio de paralisações do tipo para que passageiros possam reprogramar suas viagens. O Ministério do Trabalho da Argentina foi notificado, disse a empresa, que se comprometeu a recompensar os clientes que tenham suas viagens canceladas.


No Brasil, a Anac informou que está atenta "à prestação de assistência aos passageiros, que por ventura sejam afetados", e que está monitorando as operações da Aerolíneas no Brasil.


Correio do Povo - RS

12/08/2014 15:31

Comissário da Malaysia Airlines é indiciado por agredir sexualmente uma passageira

Australiana teria sido vítima de violência durante voo que partiu de Kuala Lumpur com destino a Paris


Um comissário de bordo da companhia aérea Malaysia Airlines foi indiciado na França depois de ter abusado sexualmente de uma passageira a bordo de um voo Kuala Lumpur/Paris. O caso teria ocorrido na última terça-feira.


Após a aterrissagem de seu voo no aeroporto francês Charles de Gaulle, a passageira, uma cidadã australiana, se dirigiu à polícia de fronteira do aeroporto de Paris. Aos investigadores, ela afirmou ter sofrido violência sexual por um comissário de bordo.


No início do voo, a australiana manifestou à tripulação sua apreensão após os dois incidentes aéreo da companhia aérea malaia nos últimos meses, informou uma destas fontes. O comissário de bordo se sentou ao lado dela e começou a conversar. Sob o pretexto de "confortá-la". Nesse momento, ele teria agredida sexualmente a passageira.


O comissário de bordo confessou o crime. Ele foi indiciado no dia seguinte e colocado em prisão preventiva, indicou uma das fontes. Duas catástrofes aéreas abalaram a companhia malaia este ano: o desaparecimento de um Boeing transportando 239 pessoas entre Kuala Lumpur e Pequim em 8 de março, e a queda do voo MH17, abatido por um míssil no dia 17 de julho no leste Ucrânia, matando 298 pessoas.


Fonte: AFP


Correio do Povo - RS

12/08/2014 13:55

Helicóptero que evacuava sitiados cai no Iraque

Aeronave estava sobrecarregada no momento da decolagem


Uma legisladora iraquiana que ajudou a chamar a atenção para a situação dos membros sitiados de sua comunidade yazidi ficou ferida nesta terça-feira na queda de um helicóptero que entregava ajuda, informaram autoridades.


O piloto morreu quando o helicóptero, sobrecarregado com os yazidis resgatados, caiu durante a decolagem no Monte Sinjar, declararam dois integrantes do exército.


Um jornalista do New York Times também sofreu ferimentos leves no acidente, segundo o jornal.


Fonte: AFP


Estado de Minas

13/08/2014 08:18

Tarifas de embarque sobem com Confins privatizado

Substituição da Infraero pela BH Airport significa elevação das taxas de R$ 21,57 para R$ 23,37 (8,34%), no caso dos voos nacionais, e de R$ 38,18 para R$ 41,40 (8,43%) para os internacionais

Estado de Minas



Aeronaves em pista, no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins


A mudanças de administrador no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na região metropolitana de Belo Horizonte, resultaram em aumento das tarifas de embarque doméstico e internacional. A substituição da Infraero pela BH Airport significa elevação das taxas de R$ 21,57 para R$ 23,37 (8,34%), no caso dos voos nacionais, e de R$ 38,18 para R$ 41,40 (8,43%) para os internacionais, segundo números apresentados pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).


O reajuste, previsto em contrato, também é válido para o Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro – Galeão. Em ambos, está considerado o Adicional de Tarifas Aeronáuticas (Ataero), que vai para o Fundo Nacional de Aviação Civil (FNAC) e não fica com o aeroporto.


O BH Ariport, formado pelo grupo CCR e pela Zurich Airport International, conquistou o direito de operar o aeroporto em novembro passado, com uma proposta de R$ 1,8 bilhão. O contrato prevê que o consórcio poderá administrar o terminal por 30 anos, prorrogáveis por mais cinco. O grupo prevê investimentos de R$ 1,5 bilhão no aeroporto nos próximos 10 anos, valor que sobe para R$ 3,5 bilhões até o fim do contrato.


Estado de Minas

12/08/2014 15:11

Pilotos da Aerolíneas Argentinas suspendem greve

AFP - Agence France-Presse


Os voos da companhia estatal Aerolíneas Argentinas começaram a se normalizar depois de serem cancelados ou sofrerem atrasos nesta terça-feira em consequência de uma greve de pilotos por reivindicações salariais, anunciou a empresa.


A paralisação inesperada foi suspensa depois que o ministério do Trabalho determinou a conciliação obrigatória, segundo informou a Associação de Pilotos de Linhas Aéreas (LAPA) e a União de Aviadores de Linhas Aéreas (UALA), que representa os pilotos da subsidiária Austral.


A paralisação foi decidida para pedir a reabertura de negociações paritárias e modificações no imposto sobre ganhos (que afeta os salários). A empresa considerou a greve "uma medida de força intempestiva, desproporcional", que rompe os acordos salariais assinados que venciam em 30 de setembro.


Segundo a companhia, os pilotos desejam salários brutos mensais de 90.000 pesos (10.100 dólares). A Aerolíneas Argentinas foi privatizada em 1990, mas retornou ao controle do Estado argentino em 2008, quando foi expropriada da espanhola Marsans, junto à filial doméstica Austral, com uma dívida de quase 890 milhões de dólares.


Hoje em Dia - MG

12/08/2014 19:42

Confins privatizado começa a operar quase sem novidades

Agência Estado



Aeroporto de Confins


O Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na região metropolitana de Belo Horizonte, começou nesta terça-feira (12) a ter sua infraestrutura operada pela concessionária BH Airport, mas quem frequenta o terminal notou poucas mudanças.


A alteração mais perceptível para os passageiros foi o aumento nas taxas de embarque, que já havia sido definido pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) em maio passado, além de pontos de informação que servem como uma espécie de "ouvidoria" para receber reclamações e sugestões dos usuários.


Na prática, as mudanças que terão mais impacto no dia a dia de quem passa pelo aeroporto devem ocorrer a partir do início do ano que vem. Este é o prazo previsto para a conclusão das obras de ampliação do terminal 1, que foram iniciadas pela Infraero e deveriam ter sido finalizadas antes do início da Copa do Mundo.


Essa ampliação elevará a capacidade do aeroporto dos atuais 10,3 milhões de passageiros anuais - já alcançada - para 11,8 milhões. Até abril de 2016 o BH Airport terá que entregar o terminal 2, cuja construção está prevista para ser iniciada ano que vem, e que permitirá o uso do terminal por "mais de 20 milhões de passageiros por ano", segundo o consórcio.


Além disso, o Plano de Melhorias de Infraestrutura (PMI) apresentado pelo BH Ariport prevê ainda 14 novas pontes de embarque e novas salas de embarque remoto, totalizando 23 pontes, novos balcões de check-in e esteiras para devolução de bagagem, novo espaço para passageiros de voos internacionais, a criação de 1.455 novas vagas de estacionamento (totalizando 4.015 vagas) e a ampliação do pátio de manobra de aeronaves, todos previstos para a mesma data. "Esse é um prazo contratual. Em 30 de abril de 2016 nós concluiremos essa etapa com todas aquelas implementações que colocamos", afirmou o presidente do consórcio, Paulo Rangel.


O BH Ariport, formado pelo grupo CCR e pela Zurich Airport International, conquistou o direito de operar o aeroporto em novembro passado, com uma proposta de R$ 1,8 bilhão. O contrato prevê que o consórcio poderá administrar o terminal por 30 anos, prorrogáveis por mais cinco.


O grupo prevê investimentos de R$ 1,5 bilhão no aeroporto nos próximos 10 anos, valor que sobe para R$ 3,5 bilhões até o fim do contrato. Os aportes incluem a conclusão da ampliação da pista atual e a construção de uma nova. Também deve ser finalizado o terminal 3, batizado de "puxadinho", que seria construído inicialmente para funcionar na Copa do Mundo e que, segundo Rangel, servirá como "apoio" para o terminal 2. A meta é ampliar a capacidade do espaço para 43 milhões de passageiros por ano até 2043.


Nos próximos 90 dias, o aeroporto será administrado pelo BH Airport com supervisão da Infraero, que pode estender o prazo por outros três meses. Os atuais 270 funcionários da Infraero que trabalham no local poderão ser aproveitados pelo consórcio. Caso contrário, de acordo com o presidente da estatal, Gustavo do Vale, eles poderão ser remanejados ou terão opção de aderir ao Plano de Demissões Voluntárias (PDV) da empresa.


Obras


Nos próximos meses, quem passar pelo aeroporto ainda terá que conviver com o movimento de operários e a poeira das obras de reforma e modernização do atual terminal de passageiros e de adequação do sistema viário, que foram suspensas antes do início da Copa. Orçado atualmente em R$ 255,3 milhões, o projeto tinha 50% de conclusão em 31 de maio, segundo o Portal da Transparência.


Mercado&Eventos

12/08 - 18:30

Gol e Smiles assinam codeshare com a Aeroméxico


A Gol anunciou que assinou o acordo de compartilhamento de voos (codeshare) com a Aeroméxico, a maior companhia aérea mexicana. O acordo ainda depende da aprovação da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE). Inicialmente, a parceria permitirá que a Aeroméxico inclua o seu código nos voos operados pela Gol, possibilitando aos seus clientes um maior número de conexões com destinos no Brasil e na América do Sul.


"Parcerias de codeshare como esta permitem que a GOL amplie sua presença em importantes mercados no exterior, como o México, e passe a oferecer cada vez mais benefícios para nossos clientes", afirma Alberto Fajerman, diretor de Relações Institucionais da Gol.


As empresas também celebraram um acordo de Frequent Flyer Program (“FFP”) que proporcionará aos membros dos seus programas de relacionamento – o Smiles, da Gol, e o Club Premier, da Aeroméxico – a possibilidade de acumular e resgatar milhas em todos os voos elegíveis operados pelas duas empresas. A partir do México, a Aeroméxico opera voos para Estados Unidos, Canadá, Caribe, América do Sul, América Central, Ásia e Europa.


Para Leonel Andrade, CEO do Smiles, o aumento do portfólio de parceiras aéreas para resgates internacionais é uma importante estratégia da empresa. “Estamos trabalhando para oferecer cada vez mais opções para que nossos clientes viajem mais e melhor com suas milhas Smiles. A parceria com a Aeroméxico permite ampliar as nossas opções de voos não só para o México, mas para outros destinos muito procurados pelos brasileiros, como Caribe e Estados Unidos”.


Rafael Massadar


Panrotas

12/8/2014 12:58:00

Iata: 2013 tem 1,1 mil novas rotas e 600 mil novos voos


Em 2013, 3,12 bilhões de passageiros foram transportados pelas companhias aéreas associadas à Iata, um aumento de 5,1% em relação a 2012. A Iata divulgou hoje, em Montreal, a 58ª edição das Estatísticas do Transporte Aéreo Mundial, divulgados anualmente. “A aviação comercial iniciou há 100 anos com apenas uma avião, um passageiro e uma rota. No ano passado, tivemos estatísticas recordes, com mais de três bilhões de passageiros e 48 milhões de toneladas de cargas transportados em 100 mil voos diários”, disse o CEO da Iata, Tony Tyler.


“Enquanto isso, o preço real das viagens aéreas caiu 7,4% na comparação com 2012. O impacto global da aviação é estimado em US$ 2,4 trilhões, respondendo por 3,4% do PIB e algo em torno de 58,1 milhões de empregos”, completou. No ano passado, o maior número de passageiros foi transportado na região da Ásia e Pacífico: 1,01 bilhão, aumento de 9,3% em relação a 2012. Em segundo lugar esteve a Europa, com 825,9 milhões de passageiros, ou 3,4% mais que no ano anterior. A América do Norte apareceu em terceiro lugar, com 818,9 milhões de passageiros, mas o menor crescimento entre as regiões em relação a 2012, de apenas 0,7%. A América Latina ocupa a quarta colocação, transportando 240,5 milhões de passageiros, ou 7,6% mais que em 2012.


As companhias aéreas acrescentaram, em 2013, 1,1 mil pares de rotas entre aeroportos e 600 mil novas frequências, em relação a 2012. No ano passado, o total de pares de rotas entre aeroportos ultrapassou 50 mil e houve mais de 31,5 milhões de voos.


Maria Izabel Reigada


Panrotas

12/8/2014 18:12:00

Azul confirma voos para Fort Lauderdale e Orlando




Após autorização das frequências entre Campinas (SP) e Estados Unidos pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a Azul confirmou o início dos voos para Fort Lauderdale e Orlando a partir de 1º e 15 de dezembro, respectivamente, como já anunciado em abril.


Serão frequências diárias para cada destino, partindo de Viracopos e operados com aeronaves do modelo A330-200. As decolagens para Fort Lauderdale ocorrerão às 23h40, com desembarque previsto para às 5h20. Para Orlando, os voos partem às 11h e chegam às 17h. No sentindo inverso, o voo de Fort Lauderdale sai às 18h20 e chega às 6h. De Orlando, o embarque ocorre às 19h50 e o desembarque às 7h50.


O presidente da Azul, Antonoaldo Neves, ressaltou a importância das novas rotas para o setor internacional da companhia. “Os horários solicitados atenderão clientes com origem em mais de 60 localidades espalhadas por todo o país”, comemora. “Utilizaremos nossa robusta malha aérea doméstica para conectar o Brasil aos Estados Unidos por meio de Campinas.” A terceira cidade a ser atendida pela Azul nos Estados Unidos deve ser Nova York, em meados do ano que vem.


Rodrigo Vieira


Panrotas

12/8/2014 15:47:00

Sky Airline anuncia entrada no BSP


Com dois voos diários para Santiago a partir de Guarulhos, a chilena Sky Airlines anunciou que está entrando no BSP. Com isso, a empresa espera crescimento nas vendas e mais satisfação por parte dos clientes. “Estamos disponíveis em todos os GDS com tarifas bastante competitivas e um diferencial de 32 quilos na franquia de bagagem”, comenta a gerente comercial da companhia, Cristiane Teixeira.


Os contatos da empresa no Brasil são: reservasbrasil@skyairline.cl, emissaobrasil@skyairline.cl e ventasbrasil@skyairline.cl.


Alex Souza

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS