AeroClipping, quinta-feira, 06/11/14 - ano XII - nº 294

Fonte
  • Menor Pequena Medium Grande Maior
  • Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

G1

Três ônibus devem fazer transporte de passageiros no aeroporto de Cuiabá

Saquarema, RJ, recebe Copa Rio de Parapente neste fim de semana

Companhia aérea tem vagas de trabalho no Aeroporto de Vitória

Diário Catarinense

Privatização do aeroporto Hercílio Luz ocorreria somente com aval do governo federal

Jornal do Comércio - RS

Embraer tem prejuízo de R$ 24,3 milhões no 3º trimestre

ZERO HORA

Novo aeroporto pode complicar leilão do Salgado Filho

Jornal de Hoje - RN

Passagens aéreas estarão mais baratas na 1º quinzena de novembro

Diário do Comércio - MG

Consórcio Aeroporto Zona da Mata deve implantar PPP

Hoje em Dia - MG

Turbina explode no ar e avião faz pouso forçado em Confins

Folha do Estado - MT

Azul inicia terceiro voo entre Cuiabá e Porto Velho na próxima semana

A Tarde - BA

Metalúrgicos da Embraer entram em greve em SP

Mercado&Eventos

Moreira Franco regulariza terreno do aeroporto de Macapá

Gol possui o maior centro de manutenção da América Latina

Panrotas

Voo da Air Canada do Rio já tem 82% de ocupação

Pesquisa aponta Avianca e Azul como melhores aéreas

Revista Plantar

Inédita ação de capacitação em aviação agrícola em Goiás


G1

05/11/2014 18h18

Três ônibus devem fazer transporte de passageiros no aeroporto de Cuiabá

Infraero informou que os veículos devem ser usados ainda este mês.

Ônibus vão substituir a atual frota no Aeroporto Marechal Rondon.

Kelly Martins

Do G1 MT

Previsão é de que os ônibus estejam disponíveis ainda este

mês (Foto: Assessoria/Infraero)

O Aeroporto Internacional Marechal Rondon, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, principal terminal aeroportuário de Mato Grosso, deverá receber três novos veículos que serão usados para o embarque e desembarque de passageiros. Segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), os ônibus estarão disponíveis até o final deste mês e farão o trajeto entre o terminal de passageiro e as aeronaves na pista.

Os novos ônibus vão substituir os atuais que se encontram no pátio do aeroporto e que, de acordo com a Infraero, são usados apenas quando há necessidade. Atualmente há quatro veículos parados e que foram adquiridos este ano para a Copa do Mundo na capital. Porém, a assessoria de imprensa do órgão informou ao G1 que, ao contrário do que ocorre, o transporte móvel vai funcionar diariamente no atendimento aos passageiros.

O objetivo seria dar mais conforto e segurança às pessoas que embarcam e desembarcam no aeroporto, se submetendo a sol e chuva no trajeto entre o terminal e o avião. A data em que os ônibus devem começar a circular não foi informada.

A demanda de passageiros no Aeroporto Marechal Rondon em Várzea Grande está estimada em 2,4 milhões de pessoas, entre embarques e desembarques, de janeiro a setembro deste ano. De acordo com a estimativa da Infraero sobre todo o ano anterior, ao menos 2,9 milhões de passageiros transitaram pelo aeroporto mato-grossense.


G1

05/11/2014 18h21

Saquarema, RJ, recebe Copa Rio de Parapente neste fim de semana

Competição deve reunir cerca de 200 participantes.

Evento acontecerá no Complexo de Voo Livre, em Sampaio Corrêa

Do G1 da Região dos Lagos

Competição é classificatória para etapa nacional.

(Foto: Alessandro Biavati/Divulgação)

Saquarema, Região dos Lagos do Rio, será sede da Copa Rio de Parapente, a partir da próxima sexta-feira (7). O evento, que deve reunir cerca de 200 participantes, acontecerá no Complexo de Voo Livre de Águas Claras, no distrito de Sampaio Corrêa. A etapa estadual servirá de classificatória para o Campeonato Brasileiro de Parapente de 2015.

O objetivo é promover uma competição de alto nível técnico, para difundir o esporte por todo o estado do Rio de Janeiro promovendo a troca de experiências e amizade entre os pilotos do estado e pilotos visitantes de outros lugares.

Programação:

07/11/2014 - Sexta feira

08:00h: Abertura do QG para confirmação das inscrições e treino livre;

20:00h: Cerimônia de Abertura com jantar oferecido aos pilotos inscritos e organização do evento;

08/11/2014 - Sábado

08:00: Início da subida para a Rampa de Decolagem;

16:00/20:00: Recebimento dos tracklog no QG;

09/11/2014 - Domingo

08:00: Início da subida para a Rampa de Decolagem;

15:00/18:00: Recebimento dos tracklog no QG;

19:00: Cerimônia de Encerramento com entrega da premiação.


G1

05/11/2014 14h07

Companhia aérea tem vagas de trabalho no Aeroporto de Vitória

Oportunidades são para agentes de atendimento.

Salário é de R$ 1.212,27 mais benefícios.

Do G1 ES

Vagas são para trabalhar no Aeroporto de Vitória

(Foto: Leandro Tedesco/ TV Gazeta)

Uma companhia aérea abriu 10 vagas para pessoas que queiram trabalhar no Aeroporto de Vitória. As oportunidades são para agentes de atendimento e o salário é de R$ 1.212,27 mais benefícios. É necessário ter experiência em atendimento ao cliente e enviar currículo até a próxima sexta-feira (7).

Além da experiência, é necessário que a pessoa tenha nível de inglês intermediário, já que vai precisar se comunicar com passageiros de vários países que precisarem do serviço da companhia. A função vai exigir que a pessoa faça serviço de atendimento, acompanhamento de passageiros, tire dúvidas, realize check-in e auxilie no embarque e desembarque.

O contrato é de três meses (temporário) e o turno por escala (6x1). Além do salário de R$ 1.212,27, os trabalhadores também vão receber R$ 294,30 de vale transporte e vale alimentação, e mais R$ 15 por dia de vale refeição.

Os interessados nas vagas devem encaminhar currículos até sexta-feira dia (7) para grazielle.campos@randstad.com.br, com o nome da vaga no título do e-mail (Agente de Atendimento). Em caso de dúvidas, entrar em contato pelo telefone 031 3298-1300.


Diário Catarinense

05/11/2014 | 20h24

Privatização do aeroporto Hercílio Luz ocorreria somente com aval do governo federal, afirma Infraero

Para promover desestatização, governo deve realizar estudos de viabilidade econômica e leilão

Gabriel Rosa

gabriel.rosa@diario.com.br

Segundo prefeitura, por enquanto não há definição de como será feito o pedido, como aconteceria a privatização ou de quando isso ocorreria Foto: Diorgenes Pandini / Agencia RBS

A prefeitura de Florianópolis anunciou nesta quarta-feira que deve pedir à Infraero a privatização da administração do Aeroporto Internacional Hercílio Luz. A Secretaria de Aviação Civil (SAC) e a Infraero, entretanto, afirmam que apenas o governo federal pode decidir pela desestatização de aeroportos de capitais.

Segundo a prefeitura de Florianópolis, a medida poderia agilizar a reforma do terminal de passageiros do aeroporto – que está parada desde maio – e reduzir a defasagem do município em relação a voos internacionais, principalmente ligações diretas com a Europa.

O texto enviado à imprensa partiu de declarações do prefeito Cesar Souza Junior, que está em Londres para participar do Congresso Mundial de Turismo (WTA). O pedido se inspiraria em outras privatizações feitas nos últimos anos. Segundo Cesar Souza, 30% do PIB de Florianópolis depende do turismo.

— Nosso turismo esbarra na falta de um voo direto com a Europa. Os europeus voltaram a viajar muito e os turistas acabam optando por São Paulo, Rio de Janeiro e cidades nordestinas que têm essa ligação direta — afirmou o prefeito em nota.

Citada pela prefeitura, a estatal Infraero é responsável somente pela administração dos aeroportos – infraestrutura, sistema de esteiras, inspeção de bagagens e passageiros, etc –, e não tem poder de decidir a transferência para a iniciativa privada.

Além disso, mesmo no caso onde houve a desestatização, a Infraero mantém 49% de posse dos aeroportos desestatizados.

Prefeitura não sabe como ocorreria privatização

A Secretaria de Comunicação Social da prefeitura afirma que ainda não há nenhuma definição de como funcionaria a privatização do Hercílio Luz, ou de quando isso poderia ocorrer. A pasta ainda diz que a análise dos trâmites deve ser retomada por Souza Junior assim que ele reassumir o comando da prefeitura, na próxima segunda-feira.

Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a escolha dos aeroportos que serão repassados à iniciativa privada é uma decisão do governo federal e segue as determinações do Programa Nacional de Desestatização (PND), aprovado em 1997. A decisão é repassada à Secretaria de Aviação Civil (SAC), e a Anac executa os processos de concessão.

A assessoria de comunicação da SAC afirma que não é incomum que prefeituras peçam a desestização de aeroportos, mas não soube relatar nenhum caso de privatização que tenha sido desencadeada por um pedido municipal.

Desestatização dependeria de estudos e leilão

Para decidir a concessão de um aeroporto, o governo federal utiliza modelagens econômicas, lança um edital e, finalmente, um leilão. Esta modelagem analisa as possibilidades de aproveitamento econômico das instalações, para garantir que a privatização não acabe trazendo prejuízos ao aeroporto.

As concessões são feitas sob contratos com termos de investimento, prazo e quantidade de obras, que devem ser seguidos sob pena de multa. Por ser um aeroporto de capital, o Hercílio Luz também não poderia ser outorgado à administração municipal, nem a Infraero pode se retirar.

DIÁRIO CATARINENSE

 


Jornal do Comércio - RS

06/11/2014 - 08h09min

Embraer tem prejuízo de R$ 24,3 milhões no 3º trimestre

ESTADÃO conteúdo

A Embraer registrou um prejuízo líquido atribuído a seus acionistas de R$ 24,3 milhões no terceiro trimestre do ano, revertendo o lucro líquido de R$ 118,7 milhões reportado no mesmo período do ano passado. Já o resultado no critério ajustado - excluindo o Imposto de Renda e contribuição social diferidos no período - foi lucro líquido de julho a setembro de R$ 214,3 milhões, o que representa uma alta de 164% sobre os R$ 81,2 milhões do terceiro trimestre de 2013.

O Ebitda da fabricante de aeronaves apresentou um recuo de 13,1% em comparação com o mesmo período do ano passado, para R$ 311,3 milhões. A margem Ebitda perdeu 1,2 ponto porcentual e passou de 12,2% no terceiro trimestre do ano passado para 11% ao final de setembro. A receita líquida da Embraer somou R$ 2,827 bilhões, o que representa uma queda de 3,9% sobre igual período de 2013.

A variação cambial no terceiro trimestre deste ano gerou uma maior despesa de imposto de renda e contribuição social sobre itens não monetários na Embraer entre julho e setembro deste ano, na comparação com os mesmos meses do ano passado, pressionando os resultados da fabricante de aeronaves.

Conforme informou a companhia, a despesa de imposto de renda somou R$ 178,6 milhões no período, ante uma despesa de R$ 58,7 milhões um ano antes. Com isso, o prejuízo líquido atribuído aos acionistas da Embraer foi de R$ 24,3 milhões, levando a um prejuízo por ação de R$ 0,0331. A margem líquida ficou negativa em 0,9%, ante uma margem de 4,0% no mesmo período do ano passado. Excluindo o imposto de renda e a contribuição social diferidos, o resultado foi um lucro líquido ajustado de R$ 214,6 milhões, o que representa uma margem líquida ajustada de 7,6%.


ZERO HORA

06/11/2014 | 04h01

Novo aeroporto pode complicar leilão do Salgado Filho

Concessão do Salgado Filho trava na decolagem

Governo federal busca empresa privada para administrar aeroporto, mas o projeto de outro terminal na região metropolitana de Porto Alegre pode complicar a atração de interessados

por Cadu Caldas

Ampliação do terminal de passageiros enfrenta demora, mas Infraero garante conclusão Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

O projeto de um novo aeroporto na região metropolitana de Porto Alegre pode ser um complicador na tentativa de atrair interessados ao leilão do Salgado Filho, planejado para decolar em 2015. Com um concorrente na mesma região, mesmo que daqui a 10 anos, o grupo privado disposto a administrar o atual terminal tende exigir um modelo diferente de concessão para o negócio ficar rentável. A Secretaria da Aviação Civil pode ser obrigada a modificar o modelo já adotado.

Até agora, nos contratos em Guarulhos (SP), Campinas (SP), Galeão (no Rio), Brasília e Confins (MG), o grupo vencedor fica sócio majoritário do negócio (participação de 51%) e a Infraero, minoritária (49%) por 20 anos. Especialistas elogiam o modelo pela competição no setor e o avanço no ritmo de obras nos terminais concedidos.

— Cada companhia tenta apresentar o melhor serviço para atrair consumidores — diz Jorge Leal Medeiros, engenheiro aeronáutico e professor da Escola Politécnica da USP.

A disputa tende a favorecer os passageiros, mas há dúvidas se o Estado teria capacidade de abrigar dois aeroportos de grande porte tão próximos. Estudo encomendado pelo governo estadual e entidades empresariais à consultoria PricewaterhouseCoopers (PwC) indica que o Salgado Filho teria de fechar para que o novo aeroporto fosse viável economicamente.

– Nunca vi no país um aeroporto ser completamente desativado. Pode mudar de perfil de atendimento, mas não ser fechado – afirma Richard Lucht, especialista em negócios da aviação e diretor-geral da ESPM-Sul.

Volney Gouveia, professor de economia da aviação civil, também não acredita em canibalização dos terminais:

– É uma região central no continente. Se melhor aproveitada, poderia aumentar o fluxo de cargas e passageiros ainda mais rapidamente. Além disso, o novo aeroporto vai demorar no mínimo 10 anos para sair do papel. Até lá, a demanda deve crescer muito.

Investimento de longo prazo

Ainda não há definição do governo federal do modelo de concessão que será adotado para o Salgado Filho, mas a Secretaria de Aviação Civil indica que pode acatar a sugestão do governo gaúcho e oferecer o atual terminal a uma empresa que também responda pela construção do novo aeroporto.

– É preciso ser uma proposta interessante para os empresários. Ninguém investe pensando em cinco anos. O horizonte é muito maior, duas, três décadas – pondera Ronald Krummenauer, da Agenda 2020, movimento que busca organizar um planejamento de longo prazo para o Estado.

Outra alternativa seria o governo manter o mesmo modelo de concessão adotado nos demais aeroportos – a empresa privada fica majoritária e a Infraero, minoritária –, mas o contrato provavelmente teria de ser diferente, pondera Cláudia Bonelli, sócia do TozziniFreire Advogados, escritório especializado em contratos e projetos governamentais:

– Como o investimento para construção de um novo aeroporto é muito alto, o tempo de concessão teria de ser maior do que o adotado nos demais Estados, e o valor mínimo de outorga, bem menor. Caso contrário, não fica interessante aos investidores.

Capacidade duplicada até outubro de 2016

Marcelo Monteiro

marcelo.monteiro@zerohora.com.br

Mantida a estrutura atual, em um cenário conservador de projeção, o aeroporto Salgado Filho teria esgotada a capacidade de sua pista em nove anos. A informação consta de nota enviada pelo Departamento Aeroportuário do Estado (DAP) à Secretaria de Aviação Civil (SAC), como parte das tratativas com o governo federal para a construção de um novo terminal aéreo de grande porte na Região Metropolitana.

– O Salgado Filho está estressado e não apresenta boas perspectivas de ampliação à altura das necessidades da economia e do número de passageiros do Rio Grande do Sul – admite o ministro da Aviação Civil, Moreira Franco.

Operando atualmente com 91,1% da capacidade, o aeroporto de Porto Alegre registrou alta de 161,3% na movimentação de passageiros nos últimos 10 anos e deve tornar- se insuficiente para a demanda a partir de 2025, conforme estimativa do DAP. No ano passado, o terminal recebeu 7,99 milhões de passageiros, aproximando-se da capacidade, de 8,77 milhões.

Embora não conteste a ideia de construção de um aeroporto em Portão, o superintendente do Salgado Filho, Wilson Brandt Filho, garante que a capacidade de atendimento será duplicada em dois anos, com conclusão do novo terminal de passageiros. Investimento de R$ 183 milhões, a obra tem passado por percalços no andamento dos trabalhos.

– O pátio onde ficarão as novas pontes de embarque estará pronto até fevereiro – assegura Brandt.

Em relação à capacidade de movimentação de cargas, o Salgado Filho está no limite, reconhece. A dificuldade será resolvida com a ampliação da pista, que tem projeto e orçamento, mas ainda depende da liberação de recursos (R$ 500 milhões), além da construção de um novo terminal de cargas, iniciada em 2010 e paralisada em razão de problemas financeiros da construtora:

– O projeto foi dividido em dois: o pátio, já licitado e em obras, e o prédio, que ainda depende de relicitação – acrescenta.

Obras sem fim

Marcelo Flach

marcelo.flach@zerohora.com.br

Aeroporto bom é aeroporto em obra, já diz uma expressão corrente na aviação. Refere-se a obras que começam e terminam. Não é o que se vê aqui. O Salgado Filho está um verdadeiro canteiro de obras, mas são projetos que se arrastam há tempo. Em um lugar que exige agilidade, tudo demora para decolar. Como exemplo, o ILS2, equipamento para melhorar as operações em dias de nevoeiro, demorou pelo menos 15 anos até começar a funcionar – e ainda foi preciso a pressão da Copa do Mundo.

A ampliação da pista em 920 metros está quase no esquecimento. Residências no caminho da extensão já tiveram os moradores realocados e as casas demolidas, mas nada de o novo pavimento andar um metro. O terminal de passageiros ampliado é outra novela. Era promessa para receber turistas e torcedores durante o Mundial. Agora ficou para 2016.

Quando finalmente chegou a chance de o Salgado Filho trocar de comando, com um grupo privado assumindo a administração, o projeto de um novo aeroporto na Região Metropolitana pode ser um complicador. Falta um GPS para os planejadores. A mesma Secretaria de Aviação Civil do governo federal, que diz não ver mais futuro no atual terminal da Capital e apoia o projeto do novo aeroporto, agora pretende atrair empresas privadas para a administração do Salgado Filho. Para um mercado do tamanho do Rio Grande do Sul, dois terminais de grande porte, e próximos, ficam pouco rentáveis. E complica a vida de companhias aéreas, que precisam dividir as operações entre dois aeroportos na mesma área.


Jornal de Hoje - RN

05/11/2014 às 9h02

Passagens aéreas estarão mais baratas na 1º quinzena de novembro

A primeira quinzena de novembro é o melhor momento para comprar voos nacionais para o Ano Novo

por: Portal JH

Foto: Divulgação

Pesquisa realizada pelo site Skyscanner, líder global em pesquisa online de passagens aéreas, mostra que, a partir de agora, a primeira quinzena de novembro é o melhor momento para comprar voos nacionais para o Ano Novo.

A despeito da crença de que a compra em cima da hora pode garantir boas promoções, o levantamento mostrou que adquirir passagens para viagens domésticas nas duas primeiras semanas de novembro pode gerar uma economia de até 39% em relação ao preço estimado das passagens na última semana do ano.

Por outro lado, ainda que a primeira quinzena de novembro seja o período com menores preços até o fim do ano, o momento perfeito para a compra das passagens domésticas seria em setembro, com quatro meses de antecedência, quando os preços eram, em média, 63% menores do que na última semana do ano.

O levantamento, divulgado em primeira mão para EXAME.com, foi feito com base nos preços de centenas de milhares de bilhetes de voos domésticos e internacionais.

Na análise sobre os preços de passagens internacionais, a conclusão foi de que os melhores preços são encontrados quando a compra é feita com seis a 19 semanas de antecedência.

Veja na tabela a seguir o prazo de antecedência ideal para a compra de passagens para cinco destinos internacionais.

Ferramentas do site

Ao informar o destino e data do voo, o Skyscanner permite comparar preços de passagens de diferentes companhias aéreas.

Para garantir tarifas mais baratas, o site recomenda comparar voos com escalas e buscar passagens de companhias aéreas diferentes para os voos de ida e volta.

O usuário também pode checar os preços médios das passagens do destino pesquisado em cada mês do ano para observar quais são os seus períodos de alta e baixa temporada.

A plataforma oferece um serviço de alerta de passagens aéreas promocionais. Para receber a notificação, o usuário deve configurar o destino e a data que pretende viajar. Ao visualizar o link “Promoção relâmpago”, basta então clicar e registrar seu e-mail.

Toda vez que houver uma mudança no preço da passagem, o site envia um alerta por e-mail. O serviço é gratuito e podem ser adicionadas diferentes rotas e datas.

Fonte: MSN

 


Diário do Comércio - MG

06/11/2014

Consórcio Aeroporto Zona da Mata deve implantar PPP

Mara Bianchetti

Consórcio Aeroporto Zona da Mata deve implantar PPP

O Consórcio Aeroporto Zona da Mata, formado pelas empresas Socicam e Universal Armazens Gerais e Alfandegados, deve sair vencedor no processo licitatório da parceria público-privada (PPP) para exploração e administração do Aeroporto Presidente Itamar Franco, em Goianá, na Zona da Mata. O grupo apresentou a melhor proposta econômica para a prestação dos serviços aeroportuários e modernização do terminal, oferecendo um desconto de 32% na contraprestação anual do Estado, chegando ao valor aproximado de R$ 4,4 milhões por ano durante a vigência do contrato, de 25 anos.

Na próxima etapa do processo licitatório, que acontece nos próximos dias, serão conferidos os documentos de habilitação do possível vencedor. Além do consórcio, a Multiterminais Alfandegados Ltda, empresa que administrou o aeroporto pelos últimos quatro anos, também participou do certame. O desconto apresentado pela empresa, porém, não foi revelado.

A licitação para criação de PPP no aeroporto é uma promessa antiga do governo do Estado. Inicialmente, o edital deveria ter sido lançado no ano passado, mas foram vários os atrasos e isso só ocorreu em setembro deste exercício. Em decorrência da demora para a procura do parceiro privado, o empresariado e o poder público da região pressionaram o governo, tendo como mote a importância estratégica do terminal para o desenvolvimento da região.

Já a abertura das propostas estava prevista para ocorrer no dia 22 de outubro, mas foi revogada pela Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop), sob alegação de que havia a necessidade de análise do processo para posterior republicação. A nova data estabelecida pela pasta foi 4 de novembro e o processo foi retomado nesta semana.

Flexibilidade - Segundo o governo do Estado, o modelo de PPP foi escolhido de modo a permitir o desenvolvimento focado tanto no transporte de passageiros quanto de cargas, dando flexibilidade à concessionária no desenvolvimento de negócios dentro do aeroporto. Um dos objetivos é transformar o terminal em importante hub logístico do pré-sal.

Na avaliação do subsecretário de Investimentos Estratégicos da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), Luiz Antônio Athayde, o certame é o primeiro passo para a transformação econômica e industrial de Juiz de Fora e toda Zona da Mata. A parceria vai permitir a implantação e o aprimoramento de uma infraestrutura logística aeroportuária na região.

"Trata-se de um trabalho de desenvolvimento da região em médio e longo prazo. Da transformação de uma economia tradicional e focada na indústria automobilística em logística avançada, de maneira a se beneficiar e colaborar com o maior investimento industrial do país, que é o pré-sal", explica.

A estratégia, conforme o subsecretário, passa não somente pela implantação de uma base de manutenção de helicópteros, mas também pela atração de fornecedores do setor de óleo e gás. "Mesmo que nenhum investimento por parte destas empresas seja feito agora, a estratégia foi lançada e a infraestrutura necessária será criada a partir da atuação do parceiro privado. A localização do aeroporto de Goianá é estratégica e a distância aérea da região ao miolo da exploração de petróleo na camada pré-sal é tão competitiva ou mais que a de aeroportos situados em São Paulo ou Macaé (RJ)", justifica.


Hoje em Dia - MG

06/11/2014 07:32

Turbina explode no ar e avião faz pouso forçado em Confins

Cristina Barroca

Hoje em Dia

Voo saiu de BH, no aeroporto de Confins, e seguia com destino para Miami

Um avião da empresa American Airlines que saiu de Belo Horizonte na madrugada desta quinta-feira (6) e seguia com destino a Miami, teve que retornar e fazer um pouso forçado no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na Grande BH. Segundo informações de uma pessoa que estaria dentro do avião, uma turbina teria explodido logo após a decolagem. Uma outra testemunha relatou ao Hoje em Dia que a aeronave ficou sobrevoando até o combustível acabar e eles conseguirem descer.

A reportagem entrou em contato com a empresa e o aeroporto de Confins, mas até o momento ninguém foi encontrado para maiores informações. Os passageiros foram acomodados no Comfort Hotel Confins.

Uma fotógrafa que estava no voo chegou a relatar em seu perfil no Facebook que o estrondo foi assustador e que a tripulação que estava na parte traseira do avião teria visto uma "enorme bola de fogo."

"Nasci de novo! Podem comemorar. (...) Acho que eu nunca orei tanto", exaltou a passageira. Ela ainda contou que a aterrissagem foi muito difícil e que ela chegou a pensar que a equipe não iria conseguir pousar. No pátio várias viaturas do Corpo de Bombeiros esperavam para atender os passageiros, caso necessário.


Folha do Estado - MT

05/11/2014 14:11

Azul inicia terceiro voo entre Cuiabá e Porto Velho na próxima semana

Nova operação diária e direta será oferecida a partir de 10 de novembro

Autor: Folha do Estado

Fonte: Folha do Estado

As ligações oferecidas pela Azul Linhas Aéreas Brasileiras entre Cuiabá e Porto Velho ganharão reforço a partir da próxima segunda-feira (10/11). Nesta data, a companhia iniciará o terceiro voo sem escalas ou conexões na rota que liga as capitais, operado com aeronaves Embraer E190, com capacidade para até 106 assentos.

“Estamos preparando o início de nosso novo voo entre Cuiabá e Porto Velho para oferecer ainda mais conveniência aos Clientes. Queremos proporcionar a experiência já apresentada nas demais frequências oferecidas entre as duas capitais. Optamos por ampliar as ligações nesta rota em virtude da alta demanda da população e os bons resultados que temos obtido”, afirma Marcelo Bento, diretor de Planejamento e Alianças da Azul.

O novo voo terá cerca de duas horas de duração, assim como ocorre nas operações já oferecidas pela companhia entre Cuiabá e Porto Velho. As cidades estão distantes quase 1,5 mil quilômetros – o percurso, por via terrestre, dura mais de 20 horas.

Em Cuiabá, os Clientes encontram conexões diretas para Brasília, Belo Horizonte (Confins), Goiânia, São Paulo (Guarulhos), Maringá, Rondonópolis e Campinas, entre outros destinos. Já em Porto Velho, além das operações para a capital de Mato Grosso, há ligações sem paradas para Manaus e Rio Branco.

Confira os voos entre Cuiabá e Porto Velho. Em destaque, a nova frequência.

 

Cuiabá – Porto Velho – Cuiabá

Origem

Saída

Destino

Chegada

Frequência

Cuiabá

11h12

Porto Velho

12h12

Segunda a sábado

Cuiabá

21h30

Porto Velho

22h30

Domingo a sexta

Cuiabá

23h30

Porto Velho

0h30

Domingo a sexta

Porto Velho

1h40

Cuiabá

4h40

Segunda a sábado

Porto Velho

6h20

Cuiabá

9h13

Segunda a sábado

Porto Velho

12h42

Cuiabá

15h33

Domingo a sexta

 

Azul em Cuiabá

Com aproximadamente 25 operações diárias e diretas a partir de Cuiabá, a companhia leva os Clientes da capital de Mato Grosso para 16 destinos: Alta Floresta, Brasília, Vilhena, Campo Grande, Belo Horizonte (Confins), São Paulo (Guarulhos), Goiânia, Ji-Paraná, Londrina, Maringá, Cacoal, Sinop, Porto Velho, Rondonópolis, São José do Rio Preto e Campinas. A primeira decolagem da companhia em Cuiabá foi em 25 de fevereiro de 2000.


A Tarde - BA

Qua, 05/11/2014 às 18:53

Metalúrgicos da Embraer entram em greve em SP

Luciana Collet

ESTADÃO conteúdo

Os metalúrgicos da Embraer, em São José dos Campos (SP), entraram em greve por tempo indeterminado, nesta quarta-feira, 05, segundo informou o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região. A decisão foi tomada em assembleia com os trabalhadores do segundo turno da unidade Faria Lima, realizada na tarde desta quarta, que contou com a participação de cerca de 1,3 mil trabalhadores, dos 2 mil que trabalham nesse período. Uma nova assembleia está prevista para esta quinta-feira, 06, com os trabalhadores do primeiro turno, a partir das 5h30.

Conforme o sindicato, a paralisação é resultado da rejeição à proposta de 7,4% de reajuste salarial apresentada pela Embraer e Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) na última rodada de negociação com o sindicato, em 29 de outubro. "O reajuste proposto representa apenas 1% de aumento real de salário e está muito abaixo do que os metalúrgicos de outras fábricas da região já conseguiram", afirmou a entidade, em nota. Segundo o sindicato, já foram fechados mais de 80 acordos, com reajustes entre 9% e 11%.

Na Embraer, os trabalhadores reivindicam 10% de reajuste, o que corresponderia a 3,43% de aumento real, além de congelamento do valor do desconto do convênio médico e estabilidade no emprego.

No último dia 21, os funcionários da Embraer também realizaram uma paralisação de 24 horas. O movimento ocorreu no mesmo dia em que a fabricante de aeronaves realizou o evento de apresentação de sua aeronave cargueira, o KC-390. Para o sindicato, a paralisação forçou a companhia, e outras empresas do setor aeronáutico, a reabrir as negociações. Até então, a proposta era de 6,6%. O avanço, entretanto, ainda não foi considerado suficiente.

"Com o lucro em alta e com bilhões de reais em contratos com o governo federal, a Embraer tem todas as condições de oferecer um reajuste maior aos seus trabalhadores. Por isso, vamos manter a greve até que a empresa deixe de ser intransigente e atenda as reivindicações dos metalúrgicos", afirmou o vice-presidente do Sindicato, Herbert Claros da Silva, que é trabalhador da Embraer, por meio de nota.

Além da Embraer, metalúrgicos de outras cinco fábricas do setor aeronáutico também já rejeitaram a proposta de 7,4%: Latecoere, Graúna, Sobraer, Sopeçaero e Alestis. Todas são parceiras da Embraer, a maior empregadora metalúrgica da região, com cerca de 13 mil trabalhadores em São José dos Campos.

Conforme o sindicato, ainda não há data prevista para nova rodada de negociações.


Mercado&Eventos

05/11 - 16:50

Moreira Franco regulariza terreno do aeroporto de Macapá

O ministro da Aviação Civil, Moreira Franco, assina nesta quinta-feira (6/11) o termo de acordo que regulariza o sítio do Aeroporto Internacional de Macapá – Alberto Alcolumbre, cedendo áreas para o Estado e para o município.

Rafael Massadar

 


Mercado&Eventos

05/11 - 15:53

Gol possui o maior centro de manutenção da América Latina

Por: Nathalia Marques

Todos os aviões da GOL realizam manutenção no CMA

A Gol linhas aéreas realizou um workshop, entre os dias 4 e 5, sobre os bastidores da aviação, para jornalistas de todo o Brasil. Nesta quarta-feira, (5), a companhia abriu as portas do seu Centro de Manutenção de Aeronaves (CMA) para a imprensa. O CMA localizado em Belo Horizonte (MG) é o maior da América Latina. No local, 750 colaboradores trabalham na manutenção de toda frota da companhia, que é composta por 146 aviões.

O centro realiza trabalhos como: manutenção de fuselagem, pintura e lavagem dos aviões. Além disso, no espaço há uma oficina de interiores onde é realizado o polimento das janelas e toda a produção da comunicação visual. Outra atividade desenvolvida no local é o treinamento da tripulação.

A realização da manutenção é um procedimento muito importante manter a qualidade do atendimento e para a segurança do voo. De acordo com o gerente de manutenção da companhia, Marco Gallinaro, existem três situações para que uma aeronave tenha que realizar reparos. “A primeira é a preventiva, no qual é realizado reparos para não ter problemas futuros, a segunda é preditiva que é quando existem indicações de falhas e a terceira é a corretiva que é quando o problema realmente ocorreu”, explica.


Panrotas

5/11/2014 13:26:00

Voo da Air Canada do Rio já tem 82% de ocupação

Por: Diego Verticchio

Com início previsto para dia 12 de dezembro, a rota Rio de Janeiro – Toronto, da Air Canada, já tem 82% de ocupação, segundo comunicado enviado pela companhia aérea. O novo voo será operado três vezes por semana em um Boeing 767-300 ER, com 24 assentos na Business e 187 na Econômica.

“O Rio de Janeiro é um mercado muito importante e estamos animados em poder atender o destino. Além disso, acreditamos que a rota vai ser uma excelente conexão para outros destinos, como Belo Horizonte e Brasília”, afirma o diretor Comercial da Air Canada no Brasil, Gleyson Ranieri.

Para ajudar a compor a equipe da Air Canada no Rio, a empresa aérea trouxe dois executivos da High Light: Renato Braz é o novo supervisor de loja e junto com ele está também Carlos Ferreira, que passa a ser o novo atendente de loja da empresa. Ambos respondem a Ana Lucia, executiva de contas da empresa.


Panrotas

6/11/2014 09:31:00

Pesquisa aponta Avianca e Azul como melhores aéreas

Por: Rafael Carreira

A Pini On, plataforma mobile de coleta e análise de dados para pesquisas de mercado, experiências de consumo e etnográficas, realizou uma pesquisa sobre as principais companhias aéreas brasileiras, com 800 pessoas de São Paulo (420 entrevistados), Rio de Janeiro (230) e Brasília (100).

A pesquisa revelou que a Avianca é considerada a melhor aérea do País pelos passageiros da capital paulista, enquanto cariocas e brasilienses apontaram a Azul como a empresa com o melhor serviço. Quando o tema é preço, a Tam foi apontada nas três cidades como a companhia com as tarifas mais altas. A avaliação sobre recomendação revelou que a Gol é a companhia menos indicada pelos passageiros das três capitais pesquisadas.

No serviço de bordo, a Avianca ficou no primeiro posto em Brasília e no Rio, e em São Paulo apareceu em segundo lugar, pouco abaixo da Azul. A companhia também foi a mais bem avaliada pelos cariocas no quesito pontualidade, enquanto entre paulistanos e candangos a Tam foi a indicada como mais pontual.

O processo de reembolso, apesar de não ser muito frequente, foi um dos itens avaliados negativamente por boa parte dos usuários. Em contrapartida, as centrais de atendimento de todas as companhias tiveram avaliações positivas, com destaque para a Avianca, que foi a mais bem avaliada nos três mercados pesquisados.

 


 

Revista Plantar

5 de novembro de 2014

Inédita ação de capacitação em aviação agrícola em Goiás

A Schroder Consultoria possui delegação de competência do Ministério da Agricultura para realizar cursos de capacitação em aviação agrícola, destinados para agrônomos e técnicos agrícolas interessados em trabalhar nesta promissora atividade.

A pedido dos profissionais do sudoeste goiano, a consultoria realizará uma ação inédita, através da realização de dois cursos simultâneos naquele estado, um para agrônomos e outro para técnicos agrícolas, a partir do dia 19 de novembro de 2014.

Cada empresa deve ter um engenheiro agrônomo que atua como responsável técnico, e o Curso de Coordenadores em Aviação Agrícola capacita e atualiza estes profissionais para atuarem no setor.

Agrônomos que trabalham com assistência técnica na pulverização e adubação aérea de lavouras também têm grande interesse neste curso, pois as mais modernas técnicas são abordadas, como DGPS, deriva e evaporação de gotas, regulagens de bicos e atomizadores rotativos para maior penetração de gotas no dossel foliar, etc.

O Curso de Executores em Aviação Agrícola é obrigatório para técnicos agrícolas interessados em trabalhar nas empresas de aviação agrícola. Cada aeronave deve ser acompanhada por um técnico executor.

Aulas teóricas e práticas compõem os programas, elaborados pelo MAPA, que emite o certificado de aprovação aos participantes.

As aulas práticas contarão com a participação da estrutura operacional e equipe técnica da Aerotex Aviação Agrícola, tradicional empresa aeroagrícola no centro-oeste do Brasil.

Além da presença de cinco profissionais da Schroder Consultoria do Rio Grande do Sul, os cursos contarão com cinco instrutores de Goiás, entre os quais, o engenheiro agrônomo Jesus Garcia Santos, Fiscal Federal Agropecuário do MAPA, responsável pelas aulas sobre legislação do setor.

Segundo o diretor da consultoria, engenheiro agrônomo Eugênio Schröder, “é a primeira vez que realizaremos os dois cursos simultaneamente, a fim de capacitar os profissionais para exercerem suas atividades já nesta safra agrícola que se inicia. Estamos investindo fortemente em salas apropriadas para os cursos e material didático moderno”.

Maiores informações podem ser obtidas em www.schroderconsultoria.com.br e pelos telefones 53 3225 4126 e 53 8414 0361.

Fonte: Cultivar

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS