Em assembleia realizada nesta sexta-feira (11), o Sindicato Nacional dos Aeronautas repassou à categoria a situação das negociações com as empresas para a renovação da Convenção Coletiva de Trabalho da aviação regular para 2016/2017, fazendo todos os esclarecimentos sobre cada passo da Campanha Salarial até o momento.  A contraproposta apresentada pelo sindicato patronal na última quarta-feira (9) já foi negada, uma vez que não trazia avanços para os trabalhadores ― e, sim, prejuízos.

O índice de reajuste ofertado foi de 4% para pisos, salários e demais cláusulas econômicas, e de 0% para as diárias (nacionais e internacionais), ou seja nenhum reajuste. Esse índice fica aproximadamente 50% abaixo da inflação projetada para o período.

Desta forma, não houve outra alternativa que não fosse a negativa da proposta.

Sobre a contraproposta para as cláusulas sociais, o único pleito de cláusula nova foi prontamente negado pelas empresas, sem qualquer debate das motivações.

A reivindicação de alteração em outras 14 cláusulas já existentes, sendo que muitas delas não possuem nenhum impacto econômico, também foi sumariamente negadas pelas empresas em todos os itens.

Registramos, ainda, que o sindicato patronal apresentou em sua contraproposta interesse unilateral pela alteração de 16 cláusulas, que em sua grande maioria atingem conquistas cruciais e históricas para toda a categoria ― o SNA rejeita as alterações pretendidas pelas empresas.

Histórico

O SNA ressalta que a entrega da pauta de reivindicações foi realizada no dia 15 de setembro, duas semanas antes do previsto, justamente para tentar agilizar as negociações e facilitar a chegada a um acordo até a data-base, que é 1º de dezembro.

Após postergações por parte do sindicato patronal, somente na terceira reunião as empresas apresentaram a primeira contraproposta ― considerada inviável pelo SNA, conforme exposto.

Lembramos, por fim, que os índices constantes na pauta dos trabalhadores, apurados em assembleia, seguem mantidos como reivindicação

Aguardamos para a próxima rodada de negociação, marcada para o dia 17 de novembro, que as empresas apresentem propostas que efetivamente  demonstrem boa vontade negocial.

O SNA conta com a efetiva participação da categoria, por meio das assembleias, para conduzir a renovação da CCT da melhor forma possível.

Participe e faça sua parte. Juntos somos fortes.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA PERMANENTE

O Presidente do SINDICATO NACIONAL DOS AERONAUTAS, no uso de suas atribuições que lhes são conferidas pelo disposto no art. 22, “a” do estatuto da entidade sindical e observados os demais requisitos estatutários e legais, em especial o previsto no art. 20, “b”, do estatuto sindical supracitado, bem como o estabelecido no art. 615 da Consolidação das Leis Trabalhistas – CLT, convoca toda a categoria de aeronautas da Aviação Regular, associados e não associados, para Assembleia Geral Extraordinária Permanente que será realizada no dia 11 de novembro de 2016, às 13:30 horas em primeira convocação e às 14:00 horas em segunda e última convocação nos seguintes locais: Rio de Janeiro: Sede no SNA, localizado na Avenida Franklin Roosevelt, 194, salas 802/805, Centro, CEP: 20021-120, Rio de Janeiro/RJ; São Paulo: Auditório do Hotel IBIS Congonhas, localizado na Rua Baronesa de Bela Vista, 801, Vila Congonhas, CEP: 04612-002, São Paulo/SP; Brasília: Auditório do Hotel Quality Hotéis Brasília, localizado na SMAS, Trecho 03, conjunto 02, Guará, Brasília/DF; Porto Alegre: Representação do SNA, localizado na Avenida dos Estados, 1825, loja 06, Anchieta, CEP: 90200-001, Porto Alegre/RS; Campinas: Representação do SNA, localizado no Centro Empresarial Viracopos, SPE – Rodovia Santos Dumont, km 66, S/N, CEP: 13052-901, Campinas/SP; para deliberarem sobre as seguintes ordens do dia: A) Avaliação e deliberação da Pauta de Reivindicação da categoria para renovação da Convenção Coletiva de Trabalho da Aviação Regular 2016/2017; B) Autorização para negociação pelo SNA da Pauta de Reivindicação; C) Autorização para o SNA Instaurar o Dissídio Coletivo, caso malogre as negociações junto ao Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias. 

Rio de Janeiro, 08 de novembro de 2016.

Rodrigo Spader
Presidente

O Sindicato Nacional dos Aeronautas informa que o Snea (Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias) cancelou aquela que seria a terceira reunião para negociação da renovação da Convenção Coletiva de Trabalho da aviação regular para 2016/2017, que estava marcada para quinta-feira (3) ― o próximo encontro ficou desta forma para o dia 9 de novembro.

Nas duas reuniões já realizadas, as empresas não apresentaram nenhuma contraproposta à pauta de reivindicações da categoria, dificultando qualquer avanço para um acordo.

Na última reunião, o Snea apenas indicou quais são as cláusulas listadas nas reivindicações da categoria em que aceitam negociar, quais as cláusulas em que as duas partes querem modificar e quais as cláusulas não-listadas pelos aeronautas em que as empresas têm interesse em negociar.

Entre estas cláusulas em que o Snea quer fazer modificações e que não haviam sido citadas na lista de reivindicações da categoria estão, entre outras:

- Acomodação individual;
- Reserva;
- Sobreaviso;
- Folgas mensais;
- Normas em caso de necessidade de redução de força de trabalho;
- Tempo em solo entre etapas de voo;
- Madrugadas e seus limites de operação.

O SNA novamente lamenta esta postura das empresas e relembra que inclusive adiantou em 15 dias a entrega da pauta de reivindicações, feita no dia 15 de setembro ― ou seja, há mais de um mês e meio ―, como forma de tentar agilizar a negociação para chegar a um acordo até a data-base da categoria, que é 1º de dezembro.

Lembramos ainda que toda decisão sobre a renovação da CCT é sempre tomada pelos tripulantes, em assembleia. Mas para isso precisamos que as empresas apresentem sua proposta para ser levada a deliberação dos tripulantes.

Fiquem atentos aos nossos meios de comunicação e participem de todas as deliberações.

Na segunda reunião de negociação para a renovação da Convenção Coletiva de Trabalho da aviação regular para 2016/2017, realizada nesta quinta-feira (27), em São Paulo, mais uma vez o Snea (Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias) não apresentou nenhuma contraproposta à pauta de reivindicações da categoria.

Dificultando os avanços para um acordo, o sindicato patronal já adiantou que também não fará nenhuma proposta formal em relação ao índice de reajuste salarial também na próxima reunião, agendada para o dia 3 de novembro.


O Sindicato Nacional dos Aeronautas lamenta esta postura das empresas e relembra que inclusive adiantou em 15 dias a entrega da pauta de reivindicações, feita no dia 15 de setembro, como forma de tentar agilizar a negociação para chegar a um acordo até a data-base da categoria, 1º de dezembro.

Lembramos ainda que toda decisão sobre a renovação da CCT é sempre tomada pelos tripulantes, em assembleia. Mas para isso precisamos que as empresas apresentem sua proposta para ser levada a deliberação dos tripulantes.

Fiquem atentos aos nossos meios de comunicação e participem de todas as deliberações. 

Confira as principais reivindicações:

Cláusulas Econômicas
- Reajuste salarial e de pisos pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) acrescido de 5% a título de aumento real;
- Reajuste de diárias nacionais em 20%;
- Reajuste de diárias internacionais (De US$ 18 para US$ 21 para América do Sul e Caribe, de US$ 20 para US$ 25 para América do Norte e México, de 20 para 25 euros para Europa, de 20 para 25 libras para a Inglaterra e de US$20 para US$25 para demais localidades);
- Reajuste de vale alimentação em 20%, sem o teto para o pagamento;
- Reajuste de seguro de vida em 20%.

Cláusulas Sociais
- Disponibilização de escalas com 5 dias de antecedência;
- Eliminação da restrição de 5 assentos para o Passe Livre;
- Reembolso para qualquer exame necessário quando da revalidação de CMA;
- Fornecimento pelas empresas de condução, quando na base, para apresentações ou encerramentos entre 23h e 6h;
- Período oposto de 10 dias;
- Descanso da tripulação comercial em voos com tripulação composta ou revezamento.

Comissão Paritária

Nesta quinta (27), também foi discutida mais uma vez a comissão paritária formada pelo SNA e pelo Snea para construir um termo aditivo à CCT de 2015/2016, conforme determinado pelo TST (Tribunal Superior do Trabalho).

No acordo que definiu a assinatura da atual CCT da aviação regular, ficou definido que as partes negociariam um aditivo relativo aos itens a Passe Livre e Período Oposto.

Porém o Snea mais uma vez não melhorou sua contraproposta e decidiu encerrar as negociações. As empresas não oferecem nenhum avanço na cláusula de Período Oposto. Na Cláusula de Passe Livre, aceitam aumentar os assentos de cinco para sete, mas não concordam em uniformizar e informatizar os sistemas e nem em oferecer sistemas alternativos.

Desta forma, o resultado das reuniões será apresentado até o dia 30 de novembro ao ministro Ives Gandra Martins Filho, do TST, conforme o que foi definido na assinatura da última CCT.

 

 

Desde o dia 15 de setembro, quando entregou ao Snea (Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias) a pauta de reivindicações para a renovação da Convenção Coletiva de Trabalho da aviação regular para 2016/2017, o Sindicato Nacional dos Aeronautas aguarda uma manifestação das companhias para o agendamento da primeira reunião, o que dará início de fato às negociações da Campanha Salarial.

No último dia 30, o SNA inclusive enviou ofício ao Snea sobre o assunto, solicitando reunião. Apesar disso, as empresas até o momento não deram nenhuma resposta. 

Ressaltamos que a entrega da pauta foi adiantada pelo SNA em 15 dias justamente como forma de tentar agilizar a negociação, para que se tente atingir um acordo até a data-base da categoria, 1º de dezembro. 

Entre as principais reivindicações estão:

Cláusulas Econômicas

- Reajuste salarial e de pisos pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) acrescido de 5% a título de aumento real;

- Reajuste de diárias nacionais em 20%;

- Reajuste de diárias internacionais (De US$ 18 para US$ 21 para América do Sul e Caribe, de US$ 20 para US$ 25 para América do Norte e México, de 20 para 25 euros para Europa, de 20 para 25 libras para a Inglaterra e de US$20 para US$25 para demais localidades);

- Reajuste de vale alimentação em 20%, sem o teto para o pagamento;

- Reajuste de seguro de vida em 20%

Cláusulas Sociais

- Disponibilização de escalas com 5 dias de antecedência;

- Eliminação da restrição de 5 assentos para o Passe Livre;

- Reembolso para qualquer exame necessário quando da revalidação de CMA;

- Fornecimento pelas empresas de condução, quando na base, para apresentações ou encerramentos entre 23h e 6h;

- Período oposto de 10 dias;

- Descanso da tripulação comercial em voos com tripulação composta ou revezamento.

Caber lembrar que toda decisão sobre a renovação da CCT é sempre tomada pelos tripulantes, em assembleia. Fiquem atentos aos nossos meios de comunicação e participem de todas as deliberações. Precisamos da união dos aeronautas para construir uma profissão cada vez melhor.

 

O Sindicato Nacional dos Aeronautas convoca os tripulantes da Latam desligados da empresa no ano de 2016 para assembleia a ser realizada no próximo dia 21, às 10h, em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Brasília, para deliberar sobre proposta da companhia referente à ação de redução de força de trabalho. Veja o edital.

Com base em consulta realizada pelo SNA, sob orientação da juíza da 8ª Vara do Trabalho de São Paulo, em que os aeronautas responderam sobre suas preferências por readmissão ou indenização, a Latam apresentou a proposta abaixo, que será colocada para aprovação ou rejeição dos trabalhadores na assembleia.

Proposta:

1) Readmissão: novo contrato de trabalho, sem pagamento de retroativo e sem desconto das verbas rescisórias pagas no momento da demissão;

Ou

2) Indenização: R$ 30.000,00 para cada comandante; R$ 25.000,00 para cada copiloto e R$ 18.000,00 para cada comissário; valores esses pagos individualmente, independentemente do tempo de contrato de trabalho e/ou tempo decorrido entre a demissão e essa proposta.

Essa proposta se aplica somente aos tripulantes cujos contratos de trabalho foram rescindidos sem justa causa no ano de 2016, excluindo os casos de rescisão por perda de CMA.

Se aprovada a proposta, os tripulantes terão prazo determinado (a ser definido) para optarem, alternativamente, sem cumulação, por um dos itens acima, procedendo a empresa à readmissão dos optantes a partir de outubro de 2016 e ao pagamento da indenização aos optantes no dia 5 de outubro de 2016. Caso rejeitada a proposta, a decisão fica por conta da juíza.

Sobre os demitidos em 2015, em razão de não ter havido nenhuma proposta da Latam, a juíza decidiu dar prosseguimento ao julgamento do processo quanto ao descumprimento da cláusula de redução de força de trabalho no período.

Passagens

Para possibilitar a participação de todos os aeronautas envolvidos, a empresa Latam irá disponibilizar passagens aéreas para as localidades das assembleias do dia 21, devendo os interessados arcar apenas com o custo da taxa de embarque.

Para obtenção das passagens, o aeronauta deverá enviar um e-mail para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. com nome, RG, CPF e Cartão de Crédito para débito da taxa de embarque.

Histórico

Diante do grande número de demissões feitos pela Latam entre 2015 e 2016, sem conformidade com as cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho, o Sindicato Nacional dos Aeronautas ingressou com ação contra redução de força de trabalho na empresa.

 

No dia 8 de junho, a juíza titular da 8ª Vara do Trabalho concedeu liminar que determinou a suspensão dos desligamentos sem justa causa pela empresa (exceção ao PDV).

Desde então, com a mediação da juíza, as partes vêm negociando para tentar chegar a acordos tanto para os aeronautas demitidos quanto para evitar novas demissões ―sempre com decisões por parte dos trabalhadores tomadas em assembleia, por votação.

Fiquem atentos aos meios de comunicação do SNA para acompanhar todas as informações. O departamento jurídico do SNA permanece disponível para eventuais dúvidas por meio do e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou do telefone (11) 5531-0318 (ramal 101).

Em assembleia realizada nesta segunda-feira (12) em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Porto Alegre e Campinas, a categoria dos aeronautas definiu e aprovou sua pauta de reivindicações para a renovação da Convenção Coletiva de Trabalho da aviação regular para 2016/2017.

Entre as principais reivindicações estão:

Cláusulas Econômicas
- Reajuste salarial e de pisos pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) acrescido de 5% a título de aumento real;
- Reajuste de diárias nacionais em 20%;
- Reajuste de diárias internacionais (De US$ 18 para US$ 21 para América do Sul e Caribe, de US$ 20 para US$ 25 para América do Norte e México, de 20 para 25 euros para Europa, de 20 para 25 libras para a Inglaterra e de US$20 para US$25 para demais localidades);
- Reajuste de vale alimentação e seguro de vida em 20%.

Cláusulas Sociais
- Disponibilização de escalas com 5 dias de antecedência;
- Eliminação da restrição de 5 assentos para o Passe Livre;
- Reembolso para qualquer exame necessário quando da revalidação de CMA;
- Fornecimento pelas empresas de condução, quando na base, para apresentações ou encerramentos entre 23h e 6h;
- Período oposto de 10 dias.

A pauta de reivindicações será entregue pela SNA às empresas na próxima quinta-feira, dia 15 de setembro.

Esperamos que as negociações com o sindicato patronal evoluam da melhor forma possível para que possamos chegar a um acordo respeitando a data-base da categoria, que é 1º de dezembro.

Caber lembrar que toda decisão sobre a renovação da CCT é sempre tomada pelos tripulantes, em assembleia. Fiquem atentos aos nossos meios de comunicação e participem de todas as deliberações. Precisamos da união dos aeronautas para construir uma profissão cada vez melhor.

Juntos somos fortes!

O Sindicato Nacional dos Aeronautas convoca todos os tripulantes da aviação regular para participar na segunda-feira (12), às 13h30, da assembleia que vai definir a pauta de reivindicações para a renovação da Convenção Coletiva de Trabalho para 2016/2017.

A assembleia será realizada simultaneamente em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Porto Alegre e Campinas (veja endereços abaixo).

Esse é o momento de cada tripulante dar sua contribuição e sugerir mudanças e melhorias na CCT, e por isso precisamos da participação de cada aeronauta.

A CCT é um acordo entre o sindicato da categoria e as empresas, um ato jurídico que serve para o estabelecimento de regras nas relações de trabalho. Essa convenção é renovada anualmente e deve respeitar a data-base da categoria, que no caso dos aeronautas é 1º de dezembro. Por meio da CCT, são definidos os reajustes salariais, pisos salariais, benefícios, direitos e deveres de empregadores e trabalhadores.

O texto final de toda CCT é fruto de muita negociação entre as partes, e o sindicato é quem representa os aeronautas. Porém nenhuma decisão é tomada pelo sindicato, mas sim pela categoria, sempre por meio das assembleias.

São os trabalhadores que outorgam esse poder de negociação ao SNA. Por isso, é necessário que cada aeronauta participe, que compareça às assembleias para discutir a situação da categoria, fazer propostas e, posteriormente, aprovar a nova CCT.

Sugestões podem ser enviadas para o e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Porém o mais importante é a presença maciça dos tripulantes nas assembleias. Compareça neste dia 12, às 13h30, e ajude a construir um futuro melhor para a nossa profissão. Contamos com vocês.

AGE – Pauta de Reivindicação para renovação da CCT da Aviação Regular

Data: 12/09/2016
Horário: 13h30
Locais:
Rio de Janeiro - Auditório do Hotel Novotel Santos Dumont, sala Arcos da Lapa, localizado na Avenida Marechal Camara, 300, Centro
São Paulo - Auditório do Hotel IBIS Congonhas, localizado na Rua Baronesa de Bela Vista, 801, Vila Congonhas
Brasília - Auditório do Hotel St. Paul Plaza – SHS, localizado na Quadra 2, Bloco H, Asa Sul
Porto Alegre - Representação do SNA, localizado na Avenida dos Estados, 1825, loja 06, Anchieta
Campinas - Representação do SNA, localizado no Centro Empresarial Viracopos, SPE Rodovia Santos Dumont, Km 66, S/N

Conforme ficou acordado em audiência realizada no último 23 na 8ª Vara do Trabalho de São Paulo, a Latam apresentou ao Sindicato Nacional dos Aeronautas uma proposta para tentar evitar a demissão de 55 comandantes e promover o retorno dos tripulantes que aderiram à LNR (Licença Não-Remunerada) e que gostariam de permanecer na ativa.

Apesar de considerar que haveria outras possibilidades para evitar as demissões, o sindicato, de acordo com a mediação feita pelo Juízo, levará a proposta para deliberação dos tripulantes.

O SNA ressalta que a decisão sobre aceitar ou rejeitar a proposta é exclusiva dos aeronautas da Latam e deverá ser tomada em assembleia (CLIQUE PARA VER O EDITAL).

A proposta da Latam prevê descontos lineares na remuneração de todos os tripulantes (comandantes, copilotos e comissários) que poderão variar de acordo com a quantidade de aeronautas que optarem pela desistência da LNR e voltarem à ativa.

O desconto pode variar de 1,6% da remuneração (caso não haja nenhum retorno da LNR) a até 2,9% (caso 100% dos optantes pela LNR decidam retornar).



O acordo proposto tem a duração de 7 meses, até março de 2017, e dá estabilidade ao grupo até o prazo final, exceto demissões por justa causa ou perda de carteira.

A assembleia para deliberar sobre a proposta da empresa será realizada na próxima segunda-feira (5 de setembro) em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Brasília, a partir das 10h, nos mesmos moldes da assembleia feita no dia 12 de agosto ―com voto secreto, até as 20h. TRIPULANTE LATAM, PARTICIPE E FAÇA VALER SUA OPINIÃO!

Uma nova audiência na 8ª Vara do Trabalho de São Paulo está marcada para o dia 8 de setembro. Fiquem atentos aos meios de comunicação do SNA para acompanhar todas as informações.

O departamento jurídico do SNA permanece disponível para eventuais dúvidas por meio do e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou do telefone (11) 5531-0318 (ramal 101).

Após audiência realizada na última terça-feira, ficou constatado que, com as adesões ao PDV (Programa de Demissão Voluntária) e à LNR (Licença Não-Remunerada), a Latam não precisará realizar novas demissões de copilotos e comissários. Segundo a companhia, ainda há um excedente de 55 comandantes ―a lista será apresentada pela empresa e deverá respeitar a cláusula de redução de força de trabalho da CCT. O Sindicato Nacional dos Aeronautas, no entanto, seguirá atuando para tentar evitar qualquer demissão e permitir que os aderentes à LNR, que assim desejarem, possam retornar ao trabalho de imediato.

Abaixo, veja perguntas e respostas sobre como fica a situação dos aeronautas da Latam a partir de agora:

1 – Quais serão os próximos passos da negociação?

Conforme acordado em audiência na 8ª Vara do Trabalho de São Paulo, o Sindicato Nacional dos Aeronautas e a Latam reiniciaram a negociação de novos termos afim de tentar evitar qualquer demissão. Uma nova audiência ficou marcada para o dia 16 de setembro. Este encaminhamento evitou que a liminar fosse derrubada e demissões ocorressem imediatamente.

2 – Como ficará a situação de quem aderiu à LNR (Licença Não-Remunerada)?

Caso a proposta a ser construída não seja aceita pelos tripulantes da empresa em assembleia, o programa de LNR segue normalmente, ou seja, os tripulantes que aderiram entrarão em licença pelo período solicitado. Caso a proposta a ser construída seja aceita pelos tripulantes em assembleia, os aderentes à LNR poderão optar entre continuar no programa de licença ou desistir dele, permanecendo no quadro ativo da empresa. São 234 tripulantes nesta condição.

3 – Como ficará a situação dos 55 comandantes que a empresa alega estarem excedentes?

Estes comandantes, conforme proposta do Juízo, ficarão em licença remunerada (salário base) no mês de setembro, até definição da situação.

4 – A empresa poderá fazer novas demissões no momento?

Não. A liminar obtida pelo Sindicato Nacional dos Aeronautas, que determinou a suspensão dos desligamentos sem justa causa pela Latam, está mantida nos seus exatos termos, estando a empresa no momento impedida de promover qualquer demissão de aeronautas (exceção ao PDV).

5 – Quem decidirá sobre a proposta de acordo?

É o grupo de tripulantes da Latam que decidirá qualquer encaminhamento ou proposta da empresa. Esta decisão se dará em assembleia convocada para este fim. 

6- Por que se fala em desconto na negociação?

Dentre diversas possibilidades, o Juízo, na audiência, sinalizou esta alternativa para que nenhuma demissão ocorresse, determinando que as negociações prosseguissem e que um eventual desconto fosse discutido. Qualquer proposição, seja ela qual for, será levada para que o grupo decida pelo aceite ou pela recusa em assembleia

O sindicato entende que é possível evitar demissões e manter a sustentabilidade do negócio na empresa Latam. Entre os pontos em discussão no vídeo estão:

- PDV (Programa de Demissão Voluntária);
- LNR (Licença Não-Remunerada);
- DNR (Dias Não-Remunerados) com estabilidade.

Uma audiência na Justiça está marcada para o dia 23 de agosto, quando a Latam apresentará o número de adesões ao PDV e à LNR. Se houver necessidade, as negociações vão prosseguir e o SNA tentará de todas as formas evitar reduções salariais desnecessárias e proteger o emprego dos tripulantes.

O departamento jurídico do SNA permanece disponível para eventuais dúvidas por meio do e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou do telefone (11) 5531-0318 (ramal 101).

Juntos somos fortes!

LEIA MAIS: Tripulantes da Latam participam de AGE e deliberam sobre proposta; 2 mil compareceram

Com uma das maiores participações em assembleia dos últimos anos, os tripulantes da Latam Linhas Aéreas S/A votaram proposta da empresa, determinada pela magistrada, nesta sexta-feira, 12, nas bases da empresa, nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Brasília.

Ao todo, mais de 2000 pilotos e comissários esclareceram suas dúvidas e fizeram valer seu poder de voto e decisão sobre os rumos do grupo de voo na proposta que envolve redução de força de trabalho e redução salarial.

Diante da proposta ofertada pela empresa, os funcionários deliberaram a favor do Programa de Demissão Voluntária (PDV) e do Programa de Licença Não Remunerada (LNR), e rejeitaram, de forma categórica, a aplicação de dias não remunerados (DNR) com estabilidade por adesão, demonstrando que o cumprimento da CCT deve ser preservado e protegido como uma das fortalezas da categoria.

A apuração dos votos foi encerrada às 22h55 e os resultados das votação de cada um dos programas foram os seguintes:

PDV
Concorda: 1699
Discorda: 286
Abstenção: 55

LNR
Concorda: 1654
Discorda: 328
Abstenção: 58

DNR
Concorda: 234
Discorda: 1779
Abstenção: 27

Além do controle através de listas de votação, também foi realizado controle eletrônico online dos votos, de forma a garantir que os tripulantes pudessem votar apenas uma vez e em um único local. As mesas foram compostas por aeronautas da empresa, dando mais uma garantia da total lisura da votação.

A adesão aos programas aprovados (PDV e LNR) poderá ser feita a partir de comunicado da empresa informando quais os canais a serem utilizados. Informações específicas também serão publicadas em breve pelo SNA.

Após o fim do prazo para as adesões, dia 22, ao meio dia, o número atingido, tanto de adesões quanto de recusas dos pedidos dos tripulantes, será levado ao conhecimento do juízo, para que seja novamente analisada a necessidade de redução de força. Se houver, novas negociações serão abertas para a busca de alternativas plausíveis para evitar desligamentos. O programa de LNR, após o fim do prazo para as adesões, será automaticamente reaberto. O primeiro prazo de adesão (22/08) será apenas para verificação do número de adesões a ser levado ao judiciário.

O Sindicato Nacional dos Aeronautas parabeniza o grupo de voo da Latam pela participação maciça nas assembleias, com uma demonstração clara de união, que fortalece a luta de todos pelos objetivos do grupo. Parabéns também aos mais de 150 novos associados que se juntaram aos agora quase 8.000 aeronautas que efetivamente fazem parte do nosso SNA.

O departamento jurídico do SNA permanece disponível para eventuais dúvidas por meio do e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou do telefone (11) 5531-0318 (ramal 101).

Juntos somos fortes!

Mais Artigos...