O SNA solicita aos tripulantes beneficiários da ação contra a OceanAir (Avianca) pela transferência abusiva de aeronautas da base do Rio de Janeiro para a base de São Paulo, nos anos de 2008 e 2009, que enviem sua documentação até o prazo máximo de 6 de novembro, de forma que o processo possa ser liquidado.

Todos os tripulantes transferidos neste período, associados e não-associados, podem apresentar contracheques, escalas e documentos de estabilidade (se houver). Pedimos que os documentos sejam encaminhados para o email Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., informando também o nome completo do tripulante e um telefone para contato.

Lembramos que aqueles que não enviarem a documentação até o dia 6 de novembro comprometerão o recebimento dos valores devidos.

A ação foi motivada pelo fato de a empresa ter realizado as transferências sem obedecer aos critérios impostos pela lei trabalhista.

Em caso de dúvidas, entrem em contato com o departamento jurídico do SNA por meio do e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou pelo telefone 21 3916-3800.

O abaixo-assinado dos copilotos da Gol já atingiu cerca de 570 subscrições, em um grupo total de 750 copilotos, e será entregue à direção da companhia pelo Sindicato Nacional dos Aeronautas e pela Asagol na próxima reunião entre as partes, em novembro. 

A reivindicação, que partiu dos próprios tripulantes, é de que os copilotos recebam salário equivalente a pelo menos 70% dos vencimentos recebido pelos comandantes.

Se você é copiloto da Gol e concorda com a reivindicação, por favor, subscreva o abaixo-assinado no link a seguir:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSchdda-Tg4qglZvJ25c6WbIDTEagNZP0RKgTxqsZw6JA98vGg/viewform

Em uma primeira reunião, realizada no dia 5 de outubro, a empresa disse ter compreendido a demanda e se comprometeu a estudar possibilidades, ainda que tenha ressaltado que tem dificuldades para mexer em seu custo fixo em um momento de recuperação. 

Entenda

A solicitação decorre da distorção comparativa da remuneração dos comandantes e copilotos, equivalente hoje na empresa à proporção de cerca de 50%.

Na média mundial, a diferença de valores dos salários fixo + variável entre copilotos e comandantes está em torno de 70% do valor total de ganhos.

A Gol possui um grupo de copilotos maduro, com tempo de casa e experiência para ocupar o posto de comando com o profissionalismo que a empresa espera. 

Entretanto, não há expectativa de promoções em curto prazo e nem um plano de carreira que minimize a espera pela oportunidade de mudança na função, motivo pelo qual o equilíbrio salarial entre é indispensável.

Fiquem atentos aos nossos meios de comunicação para acompanhar as novidades sobre o tema.

 

O Sindicato Nacional dos Aeronautas informa que enviou comunicado via e-mail aos aeronautas ex-empregados da Colt Linhas Aéreas para consultá-los sobre nova tentativa de acordo apresentada pela empresa. Os tripulantes interessados que não tenham recebido o comunicado devem entrar em contato com o SNA para esclarecimentos sobre as condições da proposta (veja contatos abaixo).
 
Após os aeronautas terem negado em assembleia o acordo oferecido na ação coletiva ajuizada pelo SNA, que trata do não pagamento de salários em atraso, 13º salários e verbas rescisórias, além de depósitos de FGTS e multa, a empresa agora propõe acordos individuais para aqueles que manifestarem interesse.

A proposta da companhia para os acordos individuais tem exatamente os mesmos moldes da que havia sido oferecida ao grupo e negada coletivamente em assembleia realizada no dia 20 de junho.
 
O julgamento da ação está temporariamente suspenso para que cada um dos tripulantes apresente manifestação individual, aceitando ou negando a proposta da empresa, até o dia 17 de outubro de 2017.
 
Uma nova audiência de conciliação está marcada para o dia 18 de outubro, para ratificação dos acordos aos interessados.
 
Em caso de dúvidas, o departamento jurídico do SNA fica à disposição pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou pelo telefone 11 5531-0318 ramal 101.

Foi realizada no último sábado (7) a Jornada de Segurança Operacional, evento organizado pelo Sindicato Nacional dos Aeronautas em parceria com o DTCEA-FL e a Fiesc-Senai. 

O ciclo de palestras, que aconteceu no Centro de Eventos Fiesc, foi o primeiro realizado pelo SNA em Florianópolis e reuniu cerca de 150 pilotos, controladores, comissários de voo e mecânicos de aeronaves.

As palestras trataram de temas como: O sono e a segurança Operacional; Performance Based Navigation; Airmanship; O uso de medicamentos na aviação; Excesso de confiança, Auto-afirmação e risco na aviação; Unapproved parts; Performance do 737NG e sua operação na Gol linhas aéreas; Drones, laser e balões.

O SNA agradece a todos que participaram e que tornaram o evento um sucesso.

Depois de quase um ano de tratativas na busca de uma solução para as irregularidades na relação de trabalho dos instrutores de voo e diante da negativa da EJ Escola de Aviação em negociar um acordo coletivo para seus instrutores de voo, o Sindicato Nacional dos Aeronautas ajuizou nesta segunda-feira (2) uma ação coletiva contra a instituição. O processo foi distribuído na 39ª Vara do Trabalho de São Paulo e uma audiência foi designada para o dia 1º de fevereiro de 2018.

O SNA vem adotando uma postura de buscar a via do diálogo e da construção do consenso com as escolas aeroclubes, envidando esforços no sentido de regularizar e qualificar a relação de emprego por intermédio da negociação em primeiro lugar —13 acordos coletivos para instrutores de voo já foram assinados desde março deste ano e dezenas estão em negociação.

Porém nem sempre as escolas tem interesse nesse ajuste, que depende de comum acordo das partes, e esbarramos na intransigência de instituições em firmar um acordo coletivo.

No processo contra a EJ, é pleiteada a regularização das anotações na carteira de trabalho, além de todas as verbas decorrentes de vínculo empregatício, pagamento de adicionais noturno e de periculosidade, pagamento especial decorrente do trabalho aos domingos e feriados, diferenças salariais (considerando o piso salarial da categoria), respeito aos limites de jornada, diárias de alimentação, cesta básica e seguro de vida.

O SNA ressalta que continuará trabalhando para a regularização dos contratos de trabalho em todos os aeroclubes e escolas de aviação do Brasil, de acordo com a previsão da lei específica da categoria de aeronautas.

Todos os aeronautas que tenham conhecimento de irregularidades que afetem os instrutores de voo de qualquer escola ou aeroclube do país podem fazer denúncias pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou pelo telefone 5531-0318 ramal 101.

A Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) realiza audiência pública sobre a proposta de exclusão da Seção 61.7 (a) do RBAC nº 61, que prevê que qualquer documento individual de habilitação ou certificado expedido pela agência, até a data de publicação da primeira emenda do Regulamento (5 de junho de 2012), terá sua validade garantida até o seu vencimento, não podendo ultrapassar a data de 31 de dezembro de 2017.

A Anac tem previsão de migrar licenças e habilitações para meios digitais em fevereiro de 2018, tornando desnecessária sua emissão impressa a partir dessa data. Portanto, a revogação do dispositivo evitaria despesa desnecessária de recursos tanto por parte da Anac quanto dos regulados.

Contribuições para a audiência pública podem ser encaminhadas à Gerência Técnica de Normas Operacionais e Suporte da Superintendência de Padrões Operacionais por meio do e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., utilizando formulário próprio disponível no site: https://goo.gl/VRPgsG. As sugestões podem ser enviadas até as 18h do dia 23 de outubro de 2017.

O Sindicato Nacional dos Aeronautas está participando da reunião do Comitê de Análise e Prevenção de Acidentes da Ifalpa (Federação Internacional de Associações de Pilotos de Linhas Aéreas). O evento está sendo realizado em Tóquio, no Japão, entre os dias 13 e 15 de setembro.

Mais de 80 participantes de todo o mundo estão discutindo assuntos relacionado a segurança de voo na reunião.

O SNA está representando por seu diretor de Segurança de Voo, Mateus Ghisleni, e por seu diretor de Relações Internacionais, Marcelo Ceriotti.

Desde o início do ano, o SNA se tornou membro-associado da Ifalpa e representante dos pilotos brasileiros nesta entidade.

A instituição atua interagindo com organizações internacionais e desenvolvendo e promovendo políticas e regulamentações junto à Icao (Organização da Aviação Civil Internacional).

Lembramos também que associados ao SNA têm o direito de se associarem também à Ifalpa sem nenhum custo. Saiba mais em: https://goo.gl/t8CD1E.

O Sindicato Nacional dos Aeronautas, ao lado de entidades como o Sindag e o Seripa V, continua discutindo soluções para a prevenção de acidentes envolvendo linhas de transmissão na aviação agrícola, além de participar da elaboração de um novo MGSO (Manual de Gerenciamento de Segurança Operacional).

A CPAAA (Comissão de Prevenção de Acidentes em Aviação Agrícola) debateu esses temas em reunião realizada em agosto, durante o Congresso Sindag Mercosul, em Canela (RS). Uma nova reunião deverá acontecer no dia 19 de outubro, em Canoas.

O SNA, representado por seu diretor de Segurança de Voo, Mateus Ghisleni, ficou responsável por analisar a NBR 7.276/2005, que regulamenta a colocação de esferas de sinalização nas linhas de transmissão de energia. A ideia é achar um caminho para aprimorar a norma, exigindo sinalização também sobre lavouras.

Quanto ao MGSO, o objetivo é simplificar o manual, fazendo com que fique adequado às características do setor aeroagrícola —e, ao mesmo tempo, passe a incorporar também preceitos do plano de prevenção de acidentes aeronáuticos do Cenipa.

O Sindicato Nacional dos Aeronautas firmou nesta terça-feira (11) um ACT (Acordo Coletivo de Trabalho) para os instrutores de voo do Aeroclube de Carazinho (RS), após aprovação dos termos pelos trabalhadores em assembleia. 

O acordo regulariza a atividade e a relação de trabalho entre os instrutores e aeroclube.

Entre outras coisas, o ACT estabelece:

- Remuneração mínima fixa e adicional por hora;
- Adicional noturno e de periculosidade;
- Diária de alimentação;
- Seguro de vida;
- Limites de jornada de trabalho e de horas de voo;
- Repouso mínimo e garantia mínima de oito folgas mensais;
- Garantia de emprego aos acidentados;
- Custeio de revalidações de CMA e CHT.

O SNA ressalta que continuará trabalhando para a regularização de todos os aeroclubes e escolas de aviação do Brasil.

Lembramos por fim que os aeronautas podem e devem denunciar quaisquer irregularidades por meio do e-mail do Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Contamos com a participação de todos.

Os aeronautas que receberam, por e-mail, o formulário de consulta sobre a proposta de acordo da Rio Linhas Aéreas têm até dia 28 de agosto para enviar suas respostas.

A consulta virtual foi enviada pelo SNA após sugestão do procurador do MPT (Ministério Público do Trabalho) da 9ª Região em audiência realizada no dia 1º de junho, para encerramento da ação de reintegração movida contra a Rio Linhas Aéreas.

O objetivo da pesquisa é garantir que os aeronautas que não puderam comparecer à última AGE manifestem sua vontade a respeito do acordo oferecido pela empresa.

Caso não tenha recebido o formulário, ou queira esclarecer dúvidas, o aeronauta pode enviar um e-mail para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

A 15ª Vara do Trabalho de São Paulo liberou os alvarás para o pagamento de verbas relativas ao FGTS e ao seguro desemprego a tripulantes dispensados pela empresa Colt Linhas Aéreas a partir de dezembro de 2016, após deferimento de pedido feito pelo Sindicato Nacional dos Aeronautas em ação coletiva contra a empresa.

Aqueles que informaram seus dados ao SNA, conforme solicitado, irão receber os alvarás no endereço de e-mail usado para o contato com o sindicato.

Alguns aeronautas não encaminharam os dados, mas ainda assim o SNA conseguiu que fossem expedidos seus alvarás. Para estes, os alvarás podem ser retirados pessoalmente nas sedes do SNA em São Paulo e no Rio de Janeiro —ou então podem informar um e-mail para recebimento enviando mensagem paraEste endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

O departamento jurídico do SNA fica à disposição para o esclarecimento de dúvidas por meio do e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

 

Diante de diversos relatos de aeronautas de que funcionários do aeroporto de Congonhas estavam barrando a entrada de tripulantes nas aeronaves com frascos aerossóis, o Sindicato Nacional dos Aeronautas se reuniu nesta terça-feira (4) com a Coordenadoria de Proteção Contra Atos Ilícitos da Infraero para tratar da questão.

O responsável informou que já foi publicado um memorando interno para os funcionários de Congonhas orientando que seja respeitado o disposto na Resolução da Anac nº 207, de 22 de novembro de 2011. Ou seja, é permitida a entrada nas aeronaves com aerossóis, respeitando as regras.

O texto da Resolução da Anac afirma que são proibidos aerossóis e atomizadores “exceto os de uso médico ou asseio pessoal, sem que exceda a quantidade de quatro frascos por pessoa e que o conteúdo, em cada frasco, seja inferior a 300 ml ou 300 g”.

O SNA agradece à Infraero pela solução da questão e solicita aos aeronautas que relatem caso voltem a enfrentar problemas, por meio do e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou pelo link http://www.aeronautas.org.br/index.php/denuncia-sna.html.