Dando continuidade aos esforços para recolocação dos pilotos brasileiros no mercado de trabalho, o Sindicato Nacional dos Aeronautas informa que mantém relacionamento constante com a companhia irlandesa Ryanair, que confirmou novo processo seletivo no Brasil no próximo mês de março, em local e datas a serem confirmados em breve.

Além disso, a Ryanair abriu a possibilidade para que a seleção ocorra em suas bases nas cidades de Dublin, na Irlanda, e Stansted, na Inglaterra. Para tanto, a empresa subsidia ao candidato passagens a partir de qualquer ponto da Europa, ida e volta até uma das cidades da seleção.

Essa parceria da Ryanair com o SNA prevê a prioridade aos pilotos da Avianca, dado o período de incertezas durante o processo de recuperação judicial em curso, porém as inscrições estão abertas a todos.

O SNA ressalta ainda que essa parceria com a companhia irlandesa já aprovou cerca de 150 pilotos do país no processo seletivo e que o sindicato tem prestado toda a assessoria aos seus associados nos trâmites junto à Autoridade Aeronáutica Brasileira e à empresa.

Os interessados devem enviar currículo em inglês, informando horas totais, horas PIC e se possuem ou não cidadania europeia, para Sra. Fernanda Madureira, pelo email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

A empresa tem vagas para comandantes com ou sem cidadania europeia, porém copilotos só serão contratados se tiverem cidadania.

Lembramos que o SNA apenas divulga oportunidades e que não tem responsabilidade sobre as vagas e a seleção.

Associe-se ao SNA
Via site: https://tinyurl.com/sna-associe-se
Via Whatsapp: 21 98702-6770
Via app: SNA no Google Play ou na Apple Store

Após o position paper emitido pela Ifalpa em dezembro de 2018 a respeito do uso de rede sociais por tripulantes, o SNA alerta mais uma vez sobre os riscos envolvidos na postagem de conteúdos por pilotos e comissários uniformizados.

É fundamental que o aeronauta certifique-se da política de mídias sociais quanto ao uso da imagem da companhia aérea em que atua. Qualquer publicação envolvendo a empresa pode ser usada como prova em procedimentos disciplinares contra eles ou seus colegas.

A Ifalpa recomenda —e assim o faz também o SNA— que os aeronautas pensem duas vezes e tenham extrema cautela quando forem fazer comentários on-line ou fazer upload de fotos ou vídeos deles mesmos.

Devido às particularidades do ambiente digital, é grande o perigo da viralização e proliferação de comentários negativos rapidamente, quase impossíveis de serem apagados.

Leia o position paper da Ifalpa na íntegra: https://bit.ly/2UEQHHr.

Os escritórios do SNA terão expediente alterado devido aos feriados de fim de ano. Não haverá expediente em nenhum escritório nos dias 24 e 25 de dezembro e 31 de dezembro e 1º de janeiro. 

Alguns escritórios estarão fechados por período estendido. São eles:

- Macaé
De 7 de janeiro a 21 de janeiro

- Porto Alegre
De 7 de janeiro a 31 de janeiro

- Manaus
De 7 de janeiro a 21 de janeiro

O Sindicato Nacional dos Aeronautas vem a público esclarecer que, ao contrário do que fez parecer a publicação “Agrotóxico é veneno para seu prato e para o trabalhador”, do Ministério Publico do Trabalho, veiculada na rede social Instagram, o uso responsável dos defensivos dispensados por via aérea é essencial para a atividade agrícola e para a economia do país.

De acordo com o decreto nº 86.765/81, que regulamentou o decreto-lei nº 917/69, que 
que regula a atividade da aviação agrícola no país, compete ao Ministério da Agricultura “estabelecer padrões técnico-operacionais de segurança de tripulantes e normas de proteção às pessoas e bens, objetivando a redução de riscos oriundos do emprego de produtos de defesa agropecuária”.

Ainda de acordo com a legislação vigente (decreto-lei nº 917/69), compete ao Ministério da Agricultura “fiscalizar as atividades da aviação agrícola no concernente à observância das normas de proteção à vida e à saúde, do ponto de vista operacional e das populações interessadas, bem como das de proteção à fauna e à flora, articulando-se com os órgãos ou autoridades competentes para aplicação de sanções, quando for o caso”.

Desta forma, o SNA defende que a atividade da aviação agrícola é imprescindível e que deve seguir rigorosamente limites e normas previstos em lei.

A vinculação da atividade de aviação agrícola à imagem de envenenamento de alimentos e de trabalhadores é errônea e traz enormes prejuízos ao setor agropecuário e à categoria dos pilotos.

Lembramos que aviação agrícola é um setor em franca expansão no Brasil, país que possui a segunda maior frota de aeronaves deste tipo do mundo —e onde a área agriculturável tem aumentado cada vez mais.

É responsabilidade não só dos produtores como das autoridades governamentais, no entanto, promover tanto o desenvolvimento da atividade agrícola como a preservação e proteção das pessoas e do meio ambiente, de forma sustentável e sem a criação de estereótipos e a difusão de informações inverídicas.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

REUNIÃO

O Presidente do Sindicato Nacional dos Aeronautas, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo estatuto da entidade sindical, convoca todos os instrutores de voo do AEROCLUBE DE BRASÍLIA, para comparecerem a REUNIÃO, que será realizada no dia 04 de dezembro de 2018 às 14h00min., no seguinte local: AEROCLUBE DE BRASÍLIA no Aeroporto Brigadeiro Araripe Macedo, Luziânia, s/n, Goiás, para tratar do seguinte tema: proposta de Acordo Coletivo de Trabalho dos instrutores de voo.

Rio de Janeiro, 04 de dezembro de 2018.

ONDINO DUTRA CAVALHEIRO NETO
Presidente

Após não ter sucesso em tentativas de negociação, o Sindicato Nacional dos Aeronautas ajuizou ação contra a Gol Linhas Aéreas em que pede que a empresa implante, imediatamente, o pagamento do tempo em simulador de voo com base nos critérios utilizados para a remuneração de tempo em voo, sob pena de multa diária a ser fixada pelo juízo.

A lei nº 13.475/2017 (Nova Lei do Aeronauta) prevê o pagamento do tempo despendido no simulador. As outras três grandes companhias aéreas da aviação regular já pagam o tempo no simulador.

A CCT da aviação regular 2017/2018 também prevê, em sua cláusula 3.2.15, que o tempo dispendido pelo aeronauta em simulador será remunerado e que os critérios para pagamento teriam que ser definidos entre as partes até 1º de março de 2018, porém até o momento nada foi feito.

Fiquem atentos aos nossos meios de comunicação para novidades sobre o caso.

O departamento jurídico do SNA fica à disposição para esclarecimentos pelo telefone (11) 5090-5100 ou pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Associe-se ao SNA
Via site: https://tinyurl.com/sna-associe-se
Via Whatsapp: 21 98702-6770

O Sindicato Nacional dos Aeronautas se reuniu com a direção da Gol Linhas Aéreas na segunda-feira (12) para buscar uma solução sobre a alteração no Manual de Operações com relação aos requisitos mínimos para elevação de nível dos copilotos.

A empresa assumiu o compromisso de retornar à regra antiga para não prejudicar os copilotos que estão perto de uma promoção.

Ficou acordado, ainda, que o SNA, juntamente com a empresa, buscará uma solução regulatória junto à Anac para equilibrar o interesse de ambas as partes.

Fiquem atentos aos meios de comunicação do SNA para novidades sobre o caso.

O departamento jurídico do SNA fica à disposição para eventuais esclarecimentos pelo telefone (11) 5090-5100 ou pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Associe-se ao SNA
Via site: https://tinyurl.com/sna-associe-se
Via Whatsapp: 21 98702-6770

O SNA e as associações Abrapac, Asagol e ATL participaram no dia 6 de novembro da 70ª Sessão Plenária do Comitê Nacional de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos, realizada pelo Cenipa em Brasília.

O evento, que reuniu representantes dos aeronautas, órgãos reguladores, empresas aéreas e táxis aéreos, fabricantes, escolas de aviação e universidades, foi mais uma oportunidade para dar visibilidade aos trabalhos técnicos e científicos que estão sendo realizados pela categoria, em especial o projeto Fadigômetro.

Os aeronautas também tiveram participação na CNT (Comissão Nacional de Treinamento), que teve como foco o impacto dos manuais de formação básica na segurança de voo, bem como a necessidade de atualização com base nas melhores práticas de mercado.    

Foi realizada no Rio de Janeiro, entre os dias 30 de outubro e 1º de novembro, uma das reuniões regulares do Huper (Comitê de Human Performance) da Ifalpa (International Federation of Air Line Pilots' Associations).

O evento, que contou com observadores da ECA (European Cockpit Association) e da Airbus, reuniu pilotos de 19 países para o debate e apresentação de estudos sobre saúde, fatores humanos e treinamento.

A delegação brasileira apresentou dados preliminares do Projeto Fadigômetro, em exposição feita pelo comandante Tulio Rodrigues, diretor do SNA, e abordou a experiência na elaboração do relatório sobre as condições de exposição dos tripulantes brasileiros à radiação ionizante — documento submetido à Comissão Nacional de Energia Nuclear e à Anac, visando auxiliar na adequação da estrutura regulatória nacional—, apresentada pelo comandante Amílton Camilo Ruas (Asagol).

Os trabalhos destacaram o avanço dos estudos científicos no país e serviram de base para que o Brasil fosse incluído, durante o encontro, nos grupos responsáveis por atualizar os position papers da Ifalpa sobre fadiga e radiação ionizante.

Outros tópicos abordados pelo comitê foram o PAP (Programa de Assistência ao Piloto), com participação do SNA e da Asagol nas reuniões do grupo de trabalho específico, treinamento baseado em competência, single pilot operations, aspectos médicos e performance humana.

Sobre regulação, o destaque ficou para o RBAC 117, tendo sido apresentados alguns aspectos e parâmetros do futuro regulamento por Miguel Romão, da Gerência Técnica de Fatores Humanos da Anac.

Reforçando a sinergia entre o sindicado e as associações nas pesquisas e estudos em prol dos aeronautas brasileiros, também participaram da reunião Alfredo Menquini (Abrapac), os cmtes. Mario Amato e Raul Bocces (Asagol), e Fabiano Paes (ATL).

O Sindicato Nacional dos Aeronautas participou nesta quinta e sexta-feira do SAFTE-FAST User Conference, evento realizado em Dallas (EUA), na unidade de treinamento da American Airlines, que teve como principal objetivo compartilhar e discutir as principais características e evoluções deste software de gerenciamento da fadiga humana, além de receber feedback dos usuários do sistema.

Representado pelo comandante Tulio Rodrigues, o SNA apresentou o projeto Fadigômetro, inciativa do SNA e das associação Abrapac, Asagol e ATL, com participação da Universidade de São Paulo (Instituto de Física, Instituto de Biociências e Faculdade de Saúde Pública) e com o apoio da CNFH (Comissão Nacional de Fadiga Humana) e do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos).

O projeto, pioneiro no Brasil, que pretende determinar o nível de exposição dos tripulantes da aviação regular brasileira aos riscos da fadiga, permitindo a proposição de estratégias para sua mitigação, foi bem recebido e despertou o interesse na conferência.

Também foram apresentadas palestras por representantes das empresas brasileiras Azul e Gol, companhias que utilizam o software SAFTE-FAST para o gerenciamento da fadiga.

A equipe do IBR (Institute For Behaviour Resources), liderada por Steven Hursh, explorou questões importantes como a importação de dados de actígrafos no SAFTE-FAST, bem como métricas relevantes para a identificação do risco da fadiga, com ênfase na avaliação da área de perigo —métrica inicialmente proposta pela equipe do Fadigômetro em 2017.

O SNA ressalta a importância de eventos como esse, que permitem a troca de experiências da comunidade internacional com relação ao gerenciamento de fadiga e à promoção de cada vez mais elevados níveis de segurança de voo.

Convidamos toda a categoria a conhecer e participar do projeto Fadigômetro. Saiba mais em: https://www.fadigometro.com.br. 

A pedido da Anac, será remarcada a reunião com o Sindicato Nacional dos Aeronautas que seria realizada na última quarta-feira (17) para tratar das novas regras da CIV Digital (Caderneta Individual de Voo Digital). A nova data ainda não foi definida.

As novas regras estão previstas na revisão B da Instrução Suplementar IS nº 61-001 da Anac (https://bit.ly/2PVFjoj), que trata dos procedimentos para demonstrar a experiência de voo requerida para fins de concessão e/ou revalidação de licenças ou habilitações previstas no RBAC nº 61.

Na prática, o documento prevê a impossibilidade de duplicidade de registro de horas de voo como de piloto em comando, nos voos em que os Manuais de Cursos (PP e PC) preveem que o lançamento das horas em comando devam ser realizadas pelos alunos, que buscam a conclusão da experiência mínima para certificação da licença pretendida.

O SNA informa aos instrutores de voo e às escolas de aviação que continuará atuando para que a categoria não fique prejudicada com a adoção dos novos procedimentos e pede que relatos sejam enviados para o e-mail para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..br ou ou pelo telefone 11 5090-5100.

O departamento jurídico do SNA fica à disposição para eventuais esclarecimentos.

Associe-se ao SNA
Via site: https://tinyurl.com/sna-associe-se
Via Whatsapp: 21 98702-6770  

O Sindicato Nacional dos Aeronautas fará uma reunião na próxima quarta-feira (17) com a Anac para tratar das novas regras da CIV Digital (Caderneta Individual de Voo Digital), conforme a revisão B da Instrução Suplementar IS nº 61-001 da Anac (https://bit.ly/2PVFjoj), que trata dos procedimentos para demonstrar a experiência de voo requerida para fins de concessão e/ou revalidação de licenças ou habilitações previstas no RBAC nº 61.

Na prática, o documento prevê a impossibilidade de duplicidade de registro de horas de voo como de piloto em comando, nos voos em que os Manuais de Cursos (PP e PC) preveem que o lançamento das horas em comando devam ser realizadas pelos alunos, que buscam a conclusão da experiência mínima para certificação da licença pretendida.

Desta forma, o SNA informa aos instrutores de voo e às escolas de aviação que está atuando para que a categoria não fique prejudicada com a adoção dos novos procedimentos e pede que relatos sejam enviados para o e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou ou pelo telefone 11 5090-5100.

O departamento jurídico do SNA fica à disposição para eventuais esclarecimentos.

Associe-se ao SNA
Via site: https://tinyurl.com/sna-associe-se
Via Whatsapp: 21 98702-6770