SAC e Anac convocam SNA e empresas para estabelecer critérios da lei do aeronauta

Fonte
  • Menor Pequena Medium Grande Maior
  • Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

O Sindicato Nacional dos Aeronautas participou, nas últimas quarta e quinta-feiras, de reuniões na SAC (Secretaria de Aviação Civil) para discutir conceitos e o andamento do PL 8255/14, a nova lei do aeronauta, que está em tramitação na Câmara dos Deputados.

O encontro, convocado pelo ministro Eliseu Padilha, contou também com a participação dos técnicos da Anac (Agência Nacional da Aviação Civil) e da Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas).

Um dos principais pontos tratados foi a forma como o FRMS (Sistema de Gerenciamento do Risco de Fadiga Humana) deverá constar na nova lei.

Para a Anac, a forma como o sistema está sendo abordado poderia inviabilizá-lo, já que o conceito é evolutivo e necessita de constantes alterações — poderia ficar engessado se fosse totalmente regulamentado pela lei.

Segundo a agência reguladora, assim como é feito em outros países que já utilizam o FRMS, a regulação deve ser feita por meio de RBACs (normas editadas pela própria Anac).

Tanto a Anac como a SAC, no entanto, se dispuseram a mediar a construção de um texto final do projeto de lei, assim como do FRMS, que irá para o RBAC.

O SNA considera que os dois dias de reunião foram bastante produtivos, mas ressalta que ainda há divergências que continuarão sendo discutidas em uma agenda positiva envolvendo o sindicato, as empresas, os órgãos governamentais e os deputados envolvidos na votação do PL.

O SNA continuará participando ativamente da construção do projeto de lei e acompanhando de perto sua tramitação, juntamente com as associações Abrapac, Asagol e ATT, sempre em defesa dos direitos dos aeronautas.

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS